domingo, 31 de janeiro de 2010

Dirceu: Mercadante será candidato se Ciro não concorrer em SP

YALA SENA
No UOL

Direto de Teresina

O ex-ministro e deputado cassado José Dirceu afirmou neste domingo, em Parnaíba (PI), que o PT prioriza a candidatura do deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE) para o governo de São Paulo. Segundo ele, a decisão deve sair nos próximos dias. "Se ele (Ciro) sair candidato a Presidência, e não for ao governo do São Paulo, vamos lançar o senador (Aloizio) Mercadante (PT-SP)", afirmou.
Dirceu afirmou também que a candidatura da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, é "irreversível". Convidado especial para participar da caravana dos 30 anos do PT no Piauí, Dirceu disse que a eleição de Dilma será o terceiro mandato de Lula e mandou um recado para os adversários: "eles vão ter que nos engolir". "Já que o Lula não pode exercer o terceiro mandato. Vamos dar o terceiro mandado a Dilma Rousseff", afirmou.
Percorrendo os Estados para enquadrar os aliados na candidatura de Dilma, José Dirceu disse que a petista tem crescido nas pesquisas e tem chances de ganhar no segundo turno. "É uma candidatura irreversível e isso será mostrando no dia 20 quando ela será oficializada como candidata no encontro do PT. O PMDB deve indicar o vice", afirmou.
No Piauí, José Dirceu foi recepcionado pelo governador Wellington Dias (PT), participou de carreata pelas ruas de Parnaíba e discursou na posse do novo diretório no município. De Parnaíba, no litoral do Estado, Dirceu seguiu a Oeiras para agenda política e, nesta segunda-feira, estará na posse da prefeita de Fortaleza, Luiziane Lins, como presidente do Diretório do PT no Ceará.

Morreu Wilson Martins (1921-2010)

Do Carlo9s Alberto Pessôa

Eminente nonagenário, morreu hoje aqui em Curitiba mestre Wilson Martins. O alquebrado corpo será velado no cemitério luterano, próximo do Couto Pereira, com entrada pela João Gualberto, salvo erro.

Último dos moicanos da grande crítica – literária &de idéias -, Wilson se liga ao tronco do dr. Alceu Amoroso Lima, o Tristão de Ataíde, e q tem no Álvaro Lins um dos mais brilhantes ramos.

WM foi trabalhador infatigável; também cabe a ele autodefinição do Nelson Rodrigues: um remador de Ben Hur! Wilson nunca abandonou as galés; foi retirado delas pela morte.

Sua obra é verdadeiramente ciclópica. Para dar idéia direi q escreveu ao longo da frutífera vida qquer coisa como 4 mil rodapés semanais! De + ou – cinco mil caracteres cada! Vinte milhões de caracteres!

E os grandes livros q batucou nas horas vagas? Um Brasil Diferente – sobre o Paraná – encabeça qquer bibliografia séria sobre a ex-5ª Comarca de São Paulo; A Palavra Escrita merece ser lida inteira; e o q dizer da monumental A História da Inteligência Brasileira, em sete volumes de mais de 600 páginas cada? Isto pra não mencionar sua heterodoxa visão do nosso modernismo.

De formação francesa, passou uma vida a ensinar literatura brasileira em universidades americanas. De uma integridade intelectual admirável, nunca cedeu às modas&modismos, nunca engrossou patotas&igrejinhas, passava bissextamente pela vida literária. Para citar novamente Nelson Rodrigues (uma das suas, dele, WM, incompreensões): tinha a temerária coragem das suas opiniões&idiossincrasias; não hesitava em se opor às autodesignadas vanguardas. Ou de torcer o nariz para a poesia do João Cabral; era humano, falível, limitado. Como todo o mundo, especialmente os gênios.

Tive a honra de conhecê-lo na Ghignone da rua XV, à frente da Schaffer; não sei se pouco antes de ir pros EUA ou pouco depois, numa das suas férias; usava apenas bengala para se apoiar e andar penosamente. De terno&gravata, banhado, barbeado, era belo homem, de belo rosto, com traços semelhantes aos do Barthes.

Nenhuma pose, nenhuma banca, nenhum ar de superioridade; não, não era um causer, contador de casos, anedotas, fofocas da vida literária ou não. (Não quero ser injusto, mas acho q ao Wilson faltava pitada de humor. ATENÇÃO! Não significa dizer q fosse mal humorado. Era sério, mas não era chato.)

Mais tarde, bem mais tarde, qdo voltou à Ctba, pude conhecê-lo melhor graças às artes do Guilhobel: arte da mesa, arte da amizade, arte do convívio; na generosa casa da dona Regina&Guilhobel, em torno da generosa mesa, Wilson ficava muito à vontade na companhia do Nireu Teixeira, do Jaime Lerner, do Tatinho Taborda, do Norton Macedo, do Fábio Campana, do Sanchez, do locutor q vos fala.

À época eu bebia industrialmente JWalker rótulo vermelho; Wilson se contentava com copitcho de pura, branca, das gerais, das minas olorosas. Tchim-tchim. Saúde. Uma pro santo. Pro santo Wilson Martins. Q merece. E q descanse em paz – em Latim fica mais bonito, REQUIESCAST IN PACE.

P.S.:

Algumas poucas vezes insisti pra q escrevesse sua autobiografia intelectual, à maneira da célebre série britânica com os filósofos; fingia q não ouvia; uma pena. (Parece q tinha ojeriza ao eu…)

São Jorge desceu do retrato para animar outra festança no bordel

A data escolhida para a consumação do golpe ─ 28 de janeiro de 2010 ─ pareceu mais que perfeita aos planejadores. Primeiro, porque nesse dia as salas de cinema do país inteiro continuariam atulhadas de adoradores do Filho do Brasil, todos com o coração em descompasso e uma catarata de lágrimas jorrando de cada canto de olho, prontos para liquidar a pauladas os traidores da pátria. Ai de quem ousasse discordar da canetada do presidente Lula, desferida naquela quinta-feira para livrar quatro obras da Petrobras da interdição determinada pelo Tribunal de Contas da União.

Multidões de devotos dispostos a matar ou morrer pelo chefe são um trunfo e tanto. Mas outro ainda mais poderoso viria horas depois do drible no TCU. Para desespero da elite golpista, dos pessimistas profissionais, dos louros de olhos azuis e de Fernando Henrique Cardoso, em 29 de janeiro o Cara receberia na Suiça, no encerramento do Fórum Econômico Mundial, o título de Estadista Global. Já canonizado pelas plateias do Brasil, o maior dos governantes desde Tomé de Sousa voltaria da viagem reverenciado como santo universal por chefes de governo grávidos de gratidão pelo acesso ao segredo do milagre brasileiro: enquanto eles fazem tudo errado, revelaria o discurso de agradecimento, o presidente Lula acerta todas. Leia na ÍNTEGRA Coluna do Augusto Nunes

Um pouco de pudor, senhores



Por Mary Zaidan

Poucas coisas nos dilaceram tanto a alma quanto as catástrofes que devastam cidades e vidas, expondo a miséria humana e nossa fragilidade diante dos fenômenos da natureza.

Se por um lado essas tragédias revelam que a humanidade ainda não se perdeu de todo e é capaz de se unir em correntes solidárias, por outro demonstram uma das faces mais sórdidas do poder: o uso político, sem qualquer pudor, do sofrimento alheio.

Seja na destruição do Haiti, onde milhares morreram e outros tantos milhões vagam perdidos sem teto, alimento, água ou esperança, seja nos mortos e desabrigados brasileiros depois das chuvas que castigaram e ainda castigam o país, todos, sem exceção, sempre viram moeda política.

E não há qualquer escrúpulo em usá-las.

No Haiti - há mais de dois séculos condenado à sua própria sorte – disputa-se até o nome do plano de salvação.

O governo brasileiro, no afã de promover a liderança do presidente Lula no cenário internacional, finca bandeiras no solo, tenta se rivalizar com os Estados Unidos, bate no peito e diz que o Plano Lula é a solução, embora ninguém saiba o que vem a ser o tal plano.

Por sua vez, os EUA de Barack Obama enxergam naquela terra arrasada uma chance de redenção diante dos males que imputaram ao mundo.

Não economizam recursos e discursos. Cada pedacinho do mundo – até os envergonhados franceses que exploravam a então colônia haitiana - reivindica sua cota de poder na reconstrução.

São demonstrações cruéis que apequenam todas as nações.

Enquanto isso, haitianos em absoluto flagelo veem os dias passarem sem que algum plano, nem mesmo de emergência, saia da lábia para a prática.

Sabe-se apenas que pouco mais de 25% do dinheiro prometido chegou. Não há estratégia definida para a distribuição de congêneres, feita aleatoriamente em absoluta desordem. Quem chega primeiro come e os demais ficam a olhar bandeiras.

No Haiti como aqui. Leia aqui na íntegra Blog do Noblat

PAC não avança e projetos somem


Ao lado do presidente Lula, os governadores Roberto Requião (PR) e André Puccinelli (MS) lançaram, em março de 2008, estudos para a construção de um poliduto: dois anos depois, a obra foi descartada

Das 20 principais obras previstas para o Paraná, apenas três foram concluídas. Sete estão empacadas e dez em andamento

ROSANA FÉLIX

Lançado há três anos com a intenção de “romper barreiras e superar limites”, o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) tem falhado em seus objetivos. No Paraná, o principal projeto do governo federal – e que deve servir de vitrine para a candidatura de Dilma Rousseff (PT) à Presidência – está desacelerando.

O balanço mais recente mostra que o estado deixará de receber R$ 1,3 bilhão em investimentos em relação ao previsto quando o progra ma foi lançado, em 2007. A maior parte disso (R$ 800 mi lhões) seria aplicada em um poliduto ligando o Mato Grosso do Sul a Pa ranaguá. Sem viabilidade econômica, o projeto foi deixado de la do. Também foram retirados cerca de R$ 500 milhões em investimentos na malha ferroviária paranaense.Leia na ÍNTEGRA na Gazeta doa Povo

PF aponta superfaturamento de quase R$ 1 bi em obras de aeroportos

Relatório diz que esquema de fraudes em licitações foi arquitetado pela cúpula da Infraero na gestão Carlos Wilson

Fausto Macedo e Bruno Tavares

Polícia Federal apontou superfaturamento de R$ 991,8 milhões nas obras de dez aeroportos administrados pela Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) - Corumbá, Congonhas, Guarulhos, Brasília, Goiânia, Cuiabá, Macapá, Uberlândia, Vitória e Santos Dumont. Todas as obras foram contratadas durante o primeiro mandato do governo Luiz Inácio Lula da Silva, entre 2003 e 2006.

Relatório final da Operação Caixa Preta sustenta que o desvio é resultado de um esquema de fraudes em licitações arquitetado pela cúpula da estatal na administração Carlos Wilson, que presidiu a Infraero naquele período. Ex-deputado, ex-senador e ex-governador de Pernambuco (1990), Carlos Wilson foi filiado à antiga Arena, ao PMDB, ao PSDB e, por último, ao PT. Ele morreu em abril de 2009, aos 59 anos, vítima de câncer.

Os principais assessores de Wilson no comando da Infraero foram enquadrados pela PF: Josefina Valle de Oliveira Pinha, ex-advogada-geral do Senado que exerceu a função de superintendente jurídica da estatal; Adenahuer Figueira Nunes, ex-diretor financeiro, e Eleuza Lores, ex-diretora de engenharia - o indiciamento de Eleuza foi suspenso pelo Superior Tribunal de Justiça. Leia na ÍNTEGRA Estadão

Cezar Peluso: Discrição e sobriedade na presidência do STF




RIO - Quem vê o homem cantarolando e batucando timidamente um samba antigo numa roda de amigos é capaz de esquecer que ele ocupa, com sobriedade, uma das 11 cadeiras do Supremo Tribunal Federal (STF). Se nos fins de semana Cezar Peluso se permite relaxar, nos dias úteis é um juiz daqueles tradicionais: passa o tempo inteiro estudando os processos, não dá entrevista, mantém a discrição sobre a vida pessoal e se agarra aos aspectos técnicos dos processos durante os julgamentos, como mostra reportagem de Carolina Brígido publicada na edição deste domingo do GLOBO.Leia na ÍNTEGRA O GLOBO

Odorico: “O Brasil vai acarejeizar a América”

Edson Sardinha

Um político “renovista”, que fez carreira nos “gloriosos tempos do cabrestismo” e defendia a “democradura”. “Um estadista que bota os pés no hoje com os olhos no depois de amanhã”. Esse era Odorico Paraguaçu por Odorico Paraguaçu. Conservador confesso, o prefeito de Sucupira era também um homem de muitas idéias. Uma delas, conquistar o mundo por meio do azeite de dendê. Outra, criar a Petropira, a estatal que tinha como missão encontrar petróleo em Sucupira.

“Emboramente esses retaguardistas, esses retrogradistas, esses ecologistas digam que não existe petróleo em Sucupira, nós vamos assinar um contrato de risco com a Petrobras. Desses que o risco é toda dela e o petróleo é nosso. E vamos provar o contrário”, prometia.

“Vamos temperar o Brasil e, pra frentemente, vamos temperar o mundo, que mais uma vez se curvará diante do Brasil quando provar do nosso acarajé, do nosso vatapá e do nosso caruru. Vamos acarajeizar a América, vamos avatapar a Europa e, pensando nisso, meu coração verde amarelecido nada de braçada”, vaticinava o prefeito em entrevista coletiva que contou até com o cartunista Ziraldo.

As semelhanças de Odorico com os atuais políticos ficam mais evidentes à frente, quando ele justifica a contratação de parentes para trabalhar em sua gestão na prefeitura. “Oxente, são cargos de confiança. Se a gente não tiver confiança em parentes, em quem vai ter confiança?”. Ou ainda quando ele é denunciado por corrupção diante das câmeras.

“Minha resposta é uma só. Vou mandar apurar e, se for comprovada alguma prova, os claudicantes serão punidos doa a quem doer, porque não tenho compromisso com milagreiros nem com milagristas, meu compromisso é com o povo.”



VEJA NA ÍNTEGRA no congresso em foco

TSE poupa Lula de punição que impôs a governador



Um passeio pelos arquivos do TSE revela que o tribunal vem sedo seletivo no julgamento de ações por violações à legislação eleitoral.

Esquiva-se de impôr a Lula e Dilma Rousseff os rigores de um ordenamento jurídico que já rendeu, por acusações análogas, até a cassação de governador.

Na semana passada, o presidente do STF, Gilmar Mendes, levantou o problema: "Tem que haver um critério único para aferir a campanha antecipada...

“...Não se pode usar um critério para prefeito, governadores, e outro para presidente da República. A Justiça Eleitoral tem que primar por um [...] um parâmetro único”.

A oposição –PSDB, DEM e PPS— já protocolou no TSE nove representações contra Lula e a candidata dele à sucessão. Quatro já foram mandadas ao arquivo. Cinco estão pendentes de julgamento.

Em todas elas, Lula e Dilma são acusados de converter cerimônias oficiais em atos de campanha. Campanha ilegal, já que a lei fixa o dia 5 de julho como data oficial para o início da refrega eleitoral.Leia na ÍNTEGRA Josias de Souza

Elio Gaspari: A costura para colocar Meirelles na vice

O repórter Elio Gaspari recheia sua coluna deste domingo, encontrável na Folha, com uma nota de deixar de cabeços hirtos os pemedebês afinados com Michel Temer.

Traz à luz detalhes de operação subterrânea urdida com o propósito de acomodar o cirstão-novo Henrique Meirelles na chapa de Dilma. Segue o relato:Leia na ÍNTEGRA Josias de Souza

Na guerra das drogas, tribo indígena sente-se invadida por ambos os lados







Erik Eckholm (em Sells, Arizona, EUA)

o pôr do sol, um silêncio assustador paira sobre a reserva indígena Tohono O'odham Nation, que tem uma fronteira de 120 quilômetros com o México.

Poucos moradores saem das suas casas. As estradas estão repletas das caminhonetes dos agentes da Patrulha de Fronteira, que param veículos desconhecidos, examinam estradas vicinais em busca de pegadas e cruzam o deserto para interceptar contrabandistas que transportam maconha nas costas e hordas de migrantes que tentam seguir para o norte.

Devido aos azares da geografia, a única grande reserva indígena na problemática fronteira viu-se no meio deste problema, tornando-se um importante ponto de passagem tanto para drogas quanto para pessoas.

Uma tribo há muito isolada de 28 mil habitantes e a sua cultura estão pagando um preço alto: a terra está fervilhando de forasteiros, os moradores estão com medo de caminhar pelo seu deserto sagrado, e alguns membros, atraídos pelo dinheiro do cartel de drogas em um local onde o desemprego é elevado, estão indo parar na cadeia. Leia na ÍNTEGRA

Ortega alega "ameaça golpista" para não reconhecer novo Governo hondurenho

No UOL

Manágua, 30 jan (EFE).- O presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, declarou neste sábado que não pode reconhecer o novo Governo de Honduras presidido por Porfirio Lobo porque nessa nação "há uma ameaça golpista para todos".

"Em Honduras estão os golpistas que se sentem em plena liberdade e com todo o respaldo como promover e propiciar novos golpes em Honduras e na região centro-americana", disse Ortega.

O presidente se referiu às relações com o novo Governo de Tegucigalpa durante um ato público em Manágua de apresentação de credenciais dos novos embaixadores de Peru, Panamá, Argentina, Palestina e República Árabe Saarauí Democrática.

"Nós nos sentimos ameaçados (pelos golpistas) e portanto não podemos reconhecer o Governo de Honduras, e essa é uma batalha que terá que ser travada em fóruns internacionais, porque não podemos nos render perante os golpes militares", disse Ortega.

Governo do Haiti diz que americanos foram detidos por suspeita de tentarem tirar crianças do país sem autorização



AP
No Extra online

PORTO PRÍNCIPE - Em meio ao caos que se instalou no país depois do terremoto, a polícia do Haiti deteve neste sábado um grupo de dez americanos suspeitos de tentarem tirar crianças do país sem a autorização necessária.

A ministra de Comunicações, Marie-Laurence Jocelyn Lassegue, informou que os americanos foram detidos com 33 crianças ao tentar atravessar a fronteira para a República Dominicana.

Segundo a agência de notícias Associated Press, o americano de Idaho Sean Lankford informou que sua mulher e a filha de 18 anos estavam entre os americanos detidos. Lankford, que faz parte da Igreja Batista, disse que o grupo queria levar as crianças para um orfanato que foi montado em um hotel na República Dominicana. Ele disse que o grupo acreditava estar com a documentação necessária para levar as crianças.

Lankford disse que funcionários do governo americano estavam trabalhando para localizar os dez integrantes da igreja detidos. Ele afirmou que parentes de Idaho estavam em contato com os americanos detidos via telefone e mensagens de texto.

O Haiti impôs novos controles sobre adoções de crianças no país. Agora, a autorização deve ser dada pessoalmente pelo primeiro-ministro Max Bellerive para evitar o tráfico de crianças. A estimativa é de que milhares de crianças foram separadas de seus pais após o terremoto.

Ano começa na Câmara sem acordo para o pré-sal


Lula pediu prioridade à base governista para definição de marco regulatório do pré-sal

Falta de consenso entre bancadas deve empurrar votação dos projetos sobre a nova camada de petróleo para depois do Carnaval


Passado o recesso parlamentar, os trabalhos na Câmara dos Deputados deverão ser abertos esta semana em clima de discórdia entre as bancadas. Para a primeira sessão do ano, nesta terça-feira (2), os líderes partidários ensaiam um embate em torno da votação dos três projetos restantes que criam as novas regras para a exploração do petróleo na camada pré-sal: o que define o regime de partilha, o que trata da capitalização da Petrobras e o que cria o fundo social.

O relator do projeto que trata da partilha dos royalties entre estados e municípios produtores, deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), antecipou o clima de desentendimento sobre o assunto, considerado o mais espinhoso. Segundo ele, embora a base aliada tenha sinalizado que irá pressionar, ainda não há consenso para votar a matéria nas primeiras semanas de trabalho.

“A votação deverá sair somente depois do Carnaval. Antes disse, é precipitar a aprovação de um modelo demagógico de partilha. A divisão dos royalties precisa ser bem discutida para que não haja injustiças entre os estados e municípios”, destaca o relator da matéria. Leia na ÍNTEGRA

A ficha criminal e os diplomas de Dilma.




Na FCA

Desde que a esquerda tomou o poder, Dilma Rousseff tem tentado sepultar Estela, Patricia, Luiza e Vanda.
Para quem não sabe, Estela, Patricia, Luiza e Vanda foram os nomes que Dilma Rousseff portou no passado, quando militou na esquerda radical praticando atos que diante de qualquer código penal são considerados crimes.
Dilma tem tentado a todo custo fazer com que esqueçam esses nomes ligados a seu passado bandido. Assim, pouco comenta seus crimes supostamente cometidos em luta “pela liberdade” e contra a “ditadura opressora”. Apenas explora o fato de ter sido “torturada”.
Sempre que é instada a falar sobre o passado, se diz acometida da clássica demência que ataca políticos brasileiros quando flagrados em atos ilícitos. Não lembra dos tempos de militância nem de suas ações.
Seus companheiros de armas, muitos dos quais ocupando altos cargos no atual governo, já comentaram o passado de Dilma. Entre as ações que lhe são imputadas há assaltos a bancos e o célebre roubo do cofre de Ademar de Barros. Dilma também não se recoda do destino dos milhões de dolares desta última ação.
Estranhamente Dilma Rousseff tem lucidez a toda prova e uma memória seletiva que lhe permite afirmar com veemência que a ficha criminal que circula na grande rede, imputando-lhe vários crimes , é falsa. Dilma rebate a ficha com uma história fantasiosa sem provas, nem testemunhas.
A ficha criminal de Dilma Rousseff que circula no ciberespaço já foi publicada por um jornal de grande circulação e desde então Dilma tem tentado através de perícias e outros meios provar que a ficha seria uma fraude.
Não resta dúvida que o jornal errou ao publicar uma ficha sem antes checar a fonte e sua autenticidade. Mas o fato desencadeou uma série de acontecimentos interessantes.
Até o momento, apesar de Dilma Rousseff ter toda máquina do Estado em suas mãos, nada ficou definitivamente provado. Há indícios de autenticidade, como também há indícios duvidosos. (Para ler as conclusões da perícia tecle aqui)
Dilma Rousseff contratou peritos da UnB e da UNICAMP que concluiram ser falsa a ficha que circula na internet. Mas a única forma de tirar a limpo os fatos seria a abertura dos famigerados “arquivos da ditadura”.
Entretanto, existe um aspecto que vai muito além da questão de perícias técnicas para provar uma fraude ou atestar uma autenticidade.
Dilma afirma com veemência que a ficha é falsa pois alega que mandou pesquisar no DOPS se lá existe ficha similar. Estranhamente as fichas que existem em diversos arquivos não estão disponíveis para consulta. Só Dilma Rousseff teve acesso às mesmas.
Quando o jornal que publicou a ficha foi aos arquivos para fazer pesquisa mais minuciosa, estes estavam fechados por ordem de Dilma. Os famosos arquivos da ditadura continuam indisponíveis para pesquisa pois a esquerda teme que a verdade venha a tona e destrua uma farsa arduamente construída com apoio da esquerda internacional e da mídia.
Toda desinformação disseminada sobre o assunto só pode levar a três conclusões.
Ou a ficha é verdadeira, não havendo como provar o contrário e Dilma fica lançando ameaças vazias na mídia na tentativa de desacreditar o documento, ou a ficha é realmente falsa conforme laudos periciais e a verdadeira seria muito mais comprometedora, devendo ser ocultada a qualquer preço. Daí a estranha reação de Dilma Rousseff de mandar pesquisar o que existe no DOPS, mas não tornar os documentos públicos.
Numa terceira hipótese, a ficha como documento seria apócrifa, porém baseada em fatos reais, extraídos de outros documentos.
Mas esse não é o cerne da questão que deveria preocupar a nação.
Dilma Rousseff, Lula e seus aliados têm investido tudo para transformar Dilma na sucessora de Lula e dar continuidade ao projeto de poder da esquerda.
A ficha criminal cuja autenticidade está sendo questionada, se refere a um passado já remoto e anistiado.
Mais relevante do que discutir quem foi Dilma e se sua ficha criminal de terrorista que circula no ciberespaço é verdadeira ou falsa, é avaliar a Dilma Rousseff de hoje, ícone da esquerda medíocre que tomou o país, ministra e candidata a sucessão de Lula. Leia na ÍNTEGRA

Blogueira cubana comenta os dois anos de Raul Castro no poder

No Prosa e Política

Como já escrevi aqui antes, acompanhando a blogueira Yoni Sanches vemos o que sofre o povo cubano, com a repressão e a falta de perspectiva daquele povo. Vejam na imagem ao lado esse trecho que “pesquei” agorinha no twitter. inverti a sequência, começando de cima para baixo, para facilitar a compreensão. Leia na Íntegra

sábado, 30 de janeiro de 2010

Zelaya se vai, Lula adoece e Cristina abre o coração

"Chance de o PT ter candidato próprio ao governo de Minas é de 110%" diz presidente estadual do partido

Rayder Bragon
Especial para o UOL Notícias
Em Belo Horizonte

O presidente estadual do PT, deputado Reginaldo Lopes, disse neste sábado (30) que a chance de o PT lançar candidato próprio ao governo de Minas Gerais é mensurada na casa dos “110%”.

“O PT hoje tem 110% de chance de ter candidato a governador. Quero ver se existe alguém dentro do partido com coragem para ir contra isso e apresentar outra tese que não essa. Nem o (ministro) Patrus Ananias, nem o (ex-prefeito) Fernando Pimentel têm condição de defender essa tese (abrir mão da cabeça de chapa) dentro do PT”, disparou o deputado.

Patrus (ministro do Desenvolvimento Social) e Pimentel disputam a indicação pelo partido para disputar a sucessão estadual, neste ano. No âmbito partidário, a sigla e o PMDB estão em conversação parta tentar formalizar uma coligação para a disputa da sucessão do governador Aécio Neves (PSDB).Leia na ÍNTEGRA

Esquerda escolhe mulher para eleição em Montevidéu

AE-AP - Agencia Estado

MONTEVIDÉU - A esquerda uruguaia decidiu indicar a vice-ministra de assuntos sociais e dirigente do Partido Comunista, Ana Olivera, como candidata às eleições para Montevidéu. O objetivo é tentar manter o poder na capital uruguaia, governada pela esquerda há 20 anos.

Em 9 de maio, os uruguaios escolherão os governantes de 19 cidades, entre elas Montevidéu, que concentra metade da população de 3,3 milhões de habitantes do país. Novamente, a esquerda é a favorita na disputa.

Ana Olivera, uma professora de 56 anos que já ocupou cargos no governo de Montevidéu, estava nos últimos tempos na subsecretaria do Ministério de Desenvolvimento Social. Nas negociações para definir uma candidatura única da esquerda na capital do país, dois aspirantes ficaram para trás por falta de apoio: o ex-ministro da Indústria Daniel Martinez e o deputado Carlos Varela.

Segundo uma pesquisa feita pela consultoria Equipos Mori, divulgada na quinta-feira, a Frente Ampla, de esquerda, tem 53% das intenções de votos em Montevidéu. Cerca de 16% dos entrevistados manifestaram a disposição de votar no centro-direitista Partido Colorado (PC), enquanto outros 15% citaram o Partido Nacional (PN), também de centro-direita. Outros 6% indicaram os demais grupos políticos. A coalizão de esquerda governa, atualmente, oito departamentos no Uruguai. O Partido Nacional governa dez departamentos e o Partido Colorado apenas um.

'Estado' rejeita arquivamento de caso da censura

AE - Agencia Estado

SÃO PAULO - O Estado de S. Paulo, sob censura desde 31 de julho de 2009, não aceitou a desistência do empresário Fernando Sarney da ação que ele move contra o jornal. Em manifestação entregue ontem ao desembargador Nívio Geraldo Gonçalves, presidente do Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJ-DF), o advogado Manuel Alceu Affonso Ferreira, que defende o Estado, assevera que o jornal prefere que a demanda vá até o fim, chegando ao julgamento de mérito.

"O que o jornal quer é ver esse processo extinto por julgamento de fundo, mediante resolução de mérito", observa o advogado. "É isso o que persegue, não lhe satisfazendo a ilusória e farisaica benesse de uma ?desistência?. Esta poderá agradar ao autor, que nela por certo vislumbrou cômoda escapatória aos embaraços a si próprio causados pela censura que requereu, e momentaneamente conquistou."

O empresário, filho do presidente do Senado, José Sarney, é autor de recurso ao TJ-DF que culminou com o decreto de censura prévia baixado pelo desembargador Dácio Vieira, proibindo o jornal de publicar reportagens acerca da Operação Boi Barrica, da Polícia Federal, que envolve Fernando Sarney. Em dezembro, por meio de carta à Associação Nacional de Jornais (ANJ), ele anunciou sua iniciativa de abrir mão da ação, formalizada em petição ao TJ-DF.

Ao recusar a desistência, o advogado Affonso Ferreira assinala que o Estado deseja "é a solução da controvérsia com prestação jurisdicional de fundo, isto é, meritória, por meio de sentença que rejeite os pleitos trazidos a juízo pelo autor, é dizer, a plena improcedência da ação". "Aí sim, e apenas assim, jamais mercê de uma precária ?desistência? sujeita aos vindouros e indevassáveis caprichos do autor", ressalta. O jornal está sob censura há 183 dias. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Uribe visita Honduras em apoio a novo governo



AE-AP - Agencia Estado

TEGUCIGALPA - O presidente da Colômbia, Alvaro Uribe, foi recebido hoje em Honduras pelo presidente Porfírio Lobo, durante uma visita oficial para manifestar seu apoio às novas autoridades de Tegucigalpa. Uribe chegou pela manhã à base da Força Aérea Hondurenha (FAH), no Aeroporto Toncontín, ao sul da capital, onde Lobo e membros de seu gabinete o aguardavam.

Militares do alto escalão fizeram um tributo ao mandatário colombiano e a sua comitiva de ministros. "Uribe veio felicitar o presidente Lobo e reafirmar o apoio da Colômbia aos esforços que está fazendo para alcançar a reconciliação nacional", informou a embaixadora de Bogotá em Tegucigalpa, Sonia Pereyra.

Lobo, do Partido Nacional (PN), de direita, assumiu a presidência de Honduras na quarta-feira e tenta organizar um governo de integração com quatro outros partidos. A intenção é fechar as feridas provocadas pelo golpe de Estado de 28 de junho contra o presidente Manuel Zelaya.

Honduras foi excluída da comunidade internacional após o golpe, mas Uribe foi um dos poucos presidentes que deu apoio ao país durante a administração do governo de facto de Roberto Micheletti. A visita de Uribe também tem o propósito de "negociar um plano de ação de segurança, concretamente, para combater a delinquência organizada", particularmente o narcotráfico, observou Pereyra.

"Vamos empreender uma luta contra o crime organizado e vamos abordar temas como terrorismo e narcotráfico. Estamos agradecidos por este apoio", disse o ministro de Defesa, Oscar Alvarez. Após a chegada, Uribe e Lobo dirigiram-se para a residência oficial, para uma reunião privada. Uribe deve regressar à Colômbia ainda hoje.

Amorim diz que veto a entrada de brasileira em Honduras foi equívoco


Em Davos, o chanceler Celso Amorim diz que deportação de diplomata foi um equívoco


da Folha Online
da Agência Brasil, em Davos

O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, tentou hoje minimizar o veto à entrada da vice-cônsul do Brasil em Honduras, Francisca Francinete de Melo, ocorrido na tarde de ontem (29), em Tegucigalpa. Ele classificou o episódio de "equívoco".

"Isso foi certamente um equívoco e um mal-entendido. Quando eu tomei conhecimento, o problema já estava até resolvido. Fui informado de que ela [a vice-cônsul] vai poder entrar. Inclusive tenho informação [baseado em jornais] de que até o diretor de imigração havia sido demitido", informou o chanceler.

Conforme Amorim, a restrição foi "um resquício de um regime que já terminou".

Conforme o ministro de Interior e de Justiça, Áfrico Madrid, a diplomata brasileira chegou ao aeroporto Toncontín, da capital Tegucigalpa, em um voo comercial saído de Miami, nos EUA, mas teve a sua entrada negada --o motivo alegado não foi revelado. Ela acabou enviada de volta para os EUA. Leia na ÍNTEGRA

Procurador-geral da República é contra revisão da Lei da Anistia

MÁRCIO FALCÃO
da Folha Online
O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, encaminhou ao STF (Supremo Tribunal Federal) um parecer se posicionando contrário a revisão da Lei da Anistia, promulgada em 1979. No texto assinado no final da tarde de sexta-feira, Gurgel defende a abertura e o livre acesso dos arquivos da ditadura militar.

Na avaliação do procurador-geral, a lei foi construída a partir de um longo debate nacional promovido na década de 70 e foi resultado do entendimento de diversos setores da sociedade civil. Segundo Gurgel, a revisão seria "romper com o compromisso feito naquele contexto histórico".

"A sociedade civil brasileira, para além de uma singela participação neste processo, articulou-se e marcou na história do país uma luta pela democracia e pela transição pacífica e harmônica, capaz de evitar maiores conflitos", afirma Gurgel.Leia na Íntegra

Dilma diz que vai discutir com PMDB a escolha do vice

da Folha Online

A ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) disse ontem que vai discutir com o PMDB a escolha do vice na sua chapa para disputar a Presidência da República nas eleições de outubro, informa reportagem de Ana Flor publicada neste sábado na Folha (íntegra disponível apenas para assinantes do jornal ou do UOL).

Segundo a reportagem, Dilma afirmou que a definição deve ser "um misto" da vontade de ambos. "Se eu responder sobre o vice, eu vou estar colocando o carro na frente dos bois", disse a ministra ao deixar a Rede TV!, onde gravou participação em um programa.

A declaração de Dilma contradiz o esforço do PMDB de lançar o presidente da Câmara, deputado Michel Temer (PMDB-SP), como candidato a vice sem debate interno.

Para fortalecer o nome de Temer, a cúpula do PMDB decidiu antecipar a convenção nacional que deve referendar a reeleição do deputado na presidência nacional do partido. O encontro, que estava marcado para 10 de março, foi antecipado para 6 de fevereiro.

Erenice Guerra substituirá Dilma na Casa Civil, mas Miriam Belchior comandará o PAC



Por Gerson Camarotti e Luiza Damé

BRASÍLIA - Duas mulheres vão suceder à ministra Dilma Rousseff na Casa Civil a partir de abril, quando ela deixará o governo para disputar a eleição presidencial. Depois de forte resistência de setores do PT, a ministra vai emplacar como titular da pasta a secretária-executiva da Casa Civil, Erenice Guerra, que ganhou notoriedade no auge do escândalo do cartão corporativo .

Mas Erenice terá o cargo de ministra esvaziado. O comando do chamado G-PAC, a gerência do principal programa do governo Lula, ficará com a petista Miriam Belchior. Ela já é a atual coordenadora do Programa de Aceleração do Crescimento e subchefe de Articulação e Monitoramento da pasta. Erenice é muito próxima e pessoa de total confiança de Dilma. Miriam, da mesma forma, do presidente Lula.Na ÍNTEGRA O GLOBO

Apenas 7 pontos percentuais separam Dilma de Serra


Moacyr Lopes Jr./Folha

No Blog do Josias de Souza

Apenas 7 pontos percentuais separam Dilma de Serra

Se Ciro sair da disputa, a diferença sobe para nove pontos
No 2º turno, o tucano prevalece sobre petista: 46% a 45%

A última pesquisa do instituto Vox Populi informa que José Serra e Dilma Rousseff tomaram o elevador. Ele, para baixo. Ela, para o alto.

A diferença que separa a candidata de Lula do presidenciável da oposição estreitou-se de 21 pontos percentuais para apenas sete.

Serra (PSDB) caiu cinco pontos –de 39% para 34%. Dilma (PT) escalou nove pontos –de 18% para 27%.

Ciro Gomes (PSB) perdeu seis pontos percentuais. Tinha 17%, um ponto a menos que Dilma. Agora, dispõe de 11%.

Marina Silva (PV) oscilou dois para baixo. Foi de 8% para 6%. A variação está dentro da margem de erro da pesquisa, que é de 2,2 pontos (para mais ou para menos).

Portanto, tomando-se o cenário que inclui Ciro Gomes, o resultado seria, de acordo com o Vox Populi, o seguinte:

- Serra: 34%
- Dilma: 27%
- Ciro: 11%
- Marina: 6%
- Indecisos, brancos e nulos: 18%

Aferiu-se também o potencial dos candidatos num segundo cenário, dessa vez sem o nome de Ciro Gomes, como deseja Lula.

Nesse cenário, a vantagem de Serra (38%) para Dilma (29%) passa a ser de nove pontos percentuais. Eis o resultado:

- Serra: 38%
- Dilma: 29%
- Marina: 8%
- Indecisos, brancos e nulos: 23%

Pode-se concluir: 1) A maior parte dos votos atribuídos a Ciro parece migrar para o rol dos indecisos. 2. Hoje, a desistência beneficiaria mais Serra do que Dilma.

O Vox Populi também perscrutou o resultado do segundo turno. Se acontecesse hoje, Serra prevaleceria sobre Dilma. Ele beliscaria 46% dos votos. Ela, 35%.

Diferença ainda confortável, de 11 pontos. Mas já foi maior. Em agosto do ano passado somava 14 pontos percentuais.

Dilma amealhara, então, 32%, contra os mesmos 46% atribuídos a Serra.

Os pesquisadores perguntaram aos eleitores, de resto, se votariam num candidato a pedido de Lula –30% disseram que sim, com certeza.

É esse o tamanho do poder de Lula. Quase um terço do eleitorado se diz disposto a fazer o que o mestre mandar. Sorte de Dilma, que jamais disputou eleições.

Prometidos para segunda-feira, os números do Vox Populi só vieram à luz na noite desta sexta (29).

Foram ao ar no jornal da TV Bandeirantes. Ouviram-se 2.000 mi pessoas em todo país. A margem de erro, como já foi dito, é de 2,2 pontos percentuais.

Video mostra chegada de Lula ao hospital



O site do “Jornal do Commercio” postou ontem, no final do dia, um vídeo de celular, que flagrou Lula chegando ao hospital, em cadeira de rodas, às pressas pelo corredor, cercado por assessores, seguranças e médicos.

fonte: Blog do Fabio Campana

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Demite-se o presidente do Banco Central da Argentina



no UOL

O presidente do Banco Central da Argentina, Martín Redrado, informou há pouco ter apresentado sua renúncia ao cargo, durante entrevista à imprensa, e em meio a um confronto com a presidente Cristina Kirchner sobre o uso das reservas monetárias do país para o pagamento da dívida pública.

Redrado estava afastado do BC desde domingo passado, quando a polícia impediu que entrasse em seu gabinete.

Brasil busca saída para reconhecer novo governo de Honduras



País tem disposição, mas "não tem pressa", para retomar relações após a crise política

Jogado à condição de protagonista na crise política em Honduras, o Brasil agora busca uma saída para reconhecer o novo governo do país. Está disposto a acompanhar os países da região e retomar o diálogo com Tegucigalpa.

O objetivo é encontrar um espaço de recuo e fugir do potencial isolamento.

Já há até uma oportunidade à vista: a reunião no México entre nações da América Latina e do Caribe - o Grupo do Rio - no fim de fevereiro, onde se espera um sinal da região favorável a Porfírio Lobo, eleito pelas mãos do governo golpista em novembro passado.

Pelo menos quatro membros desse grupo - Colômbia, Panamá, Peru, Guatemala e Costa Rica - passaram a atestar a legitimidade do recém-eleito chefe de Estado.

O assessor para Assuntos Internacionais da Presidência, Marco Aurélio Garcia, diz que o governo brasileiro está "avaliando a situação e esperando as iniciativas do novo governo" hondurenho:

- Como tomamos decisões coletivas naquele momento (pós-golpe), obviamente queremos analisar (essa hipótese conjuntamente).

Honduras impede entrada de diplomata brasileira

Deposto e expulso de Honduras em 28 de junho do ano passado, Manuel Zelaya buscou abrigo na embaixada brasileira em Tegucigalpa depois de voltar escondido ao país, em setembro. Deixou a representação diplomática na última quarta-feira, mesmo dia em que Lobo tomou posse.

Funcionários de Honduras impediram nesta sexta-feira o ingresso no país da cônsul brasileira em Tegucigalpa, e por conta disso foi destituído o diretor de Imigração. Após o incidente, Honduras pediu desculpas ao Brasil, disse Africo Madrid, ministro de Interior e Justiça.

- É um erro grave, que põe em perigo a posição internacional de Honduras que abriu suas portas ao mundo.

Brasil tem disposição, mas não tem pressa, para retomar relações

Organizações internacionais, assim como o Brasil, afirmaram que não reconheceriam um governo eleito por um outro ilegítimo. Roberto Micheletti comandou o governo golpista por meses, assim como as eleições nacionais que deram vitória a Porfírio Lobo.

Mas à medida que diversas nações dão marcha à ré, o governo brasileiro se convence mais e mais de que é necessário descomprimir, segundo uma fonte do governo Lula.

A situação, porém, é delicada, pois o Brasil, ao mesmo tempo em que não quer autenticar um golpe de Estado, teme ser um dos únicos países sem relação com Tegucigalpa. A Venezuela de Hugo Chávez, por exemplo, disse que não dará nenhum passo para trás.

Garcia diz que "o Brasil não pode ficar isolado". Apesar da disposição, "não há pressa", assegura ele.

O embaixador do Brasil em Honduras - retirado no momento mais agudo da crise política - não voltaria ao país imediatamente após esse eventual reconhecimento.

Segundo a fonte, o restabelecimento completo das relações ocorreria aos poucos, a depender dos sinais dados por Lobo ao longo dos próximos meses.

Chefe do MST é preso em Santa Catarina


Ele é suspeito de planejar invasões em áreas públicas.
Também foram detidos um sindicalista e um líder comunitário.

Um dos chefes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) em Santa Catarina foi preso no sul do estado, nesta sexta-feira (29). Ele é suspeito de planejar invasões em áreas públicas.

Também foram detidos um sindicalista e um líder comunitário que, segundo a Polícia Militar, estariam reunindo famílias para invadir uma propriedade no Banco Nacional do Desenvolvimento, às margens da BR-101.

Hage: exclusão de obras da lista do TCU por Lula é legal

Diego Salmen

O presidente Lula excluiu do orçamento de 2010 quatro obras da Petrobrás da lista de projetos com indícios de irregularidades, levantada pelo TCU (Tribunal de Contas da União). A medida foi alvo de críticas; Marinus Marsico, procurador do Ministério Público junto ao órgão, classificou a decisão de "lamentável".

O veto, no entanto, obedece a uma "prerrogativa constitucional", segundo o ministro Jorge Hage, presidente da Controladoria Geral da União (CGU). Em nota, ele defende os fundamentos legais da decisão presidencial.Leia na ÍNTEGRA

Vice-líder tucano: Governo Lula instalou um regime corrupto

Eliano Jorge

Mais uma decisão do governo federal promete esquentar os ataques mútuos entre PT e PSDB. As reações dos oposicionistas surgiram imediatamente ao anúncio de que o presidente Lula retirou, da lista de projetos com suspeita de irregularidades feita pelo Tribunal de Contas da União, quatro obras da Petrobrás, nesta quinta-feira, 28.

Ouvido por Terra Magazine, o vice-líder tucano no Senado, Alvaro Dias (PR), disparou, de cara: "Isso vem na esteira de outras atitudes que consagram a improbidade administrativa".

- Se este governo fosse perfeito em todas as outras áreas, ele teria que ser condenado por ser tão adepto a corrupção, por passar a mão na cabeça dos desonestos e por instalar um regime corrupto no País - conclui.Leia na ÍNTEGRA

UPA para os outros

Por Augusto Nunes

“Eu vou ser muito breve, porque estou com a garganta não muito boa e não quero ser o primeiro paciente dessa UPA. Mas ela está tão bem localizada, tão bem estruturada, que dá até vontade de ficar doente para ser atendido”.

Lula, pouco antes da crise de hipertensão que o levou rapidamente a ser atendido nos hospitais Português, no Recife, e Sírio Libanês, em São Paulo, tão parecidos com uma UPA quanto Giselle Bundchen com Ideli Salvatti.

De Onde Vem A Fortuna Do Lula ?



No ESCULACHO E SIMPATIA
Por Marcos Pontes

Não são poucos os exemplos que deu, principalmente nesses últimos sete anos de discursos improvisados, vazios, autobiográficos, vaidosos, por vezes mentirosos, dúbios, impensados, mas todos muito transparentes. Vai ficar difícil lembrar de todas as vezes.

Aliás, desde quando candidatou-se à presidência pela primeira vez, várias vezes ex-colegas metalúrgicos falaram que Lula havia decepado o dedo para ganhar indenização e aposentadoria. Se é verdade ou apenas maldade dos ex-companheiros, não ouso dizer, mas lembro de ter ouvido histórias assim e, poucas vezes, lido em alguma mídia.

Se esse episódio é fato ou inveja, não vem mais ao caso, afinal de contas a indenização que recebeu e a aposentadoria como metalúrgico, profissão abandonada aos 27 anos graças às tetas do sindicalismo, que não obriga trabalhador a trabalhar, facultando-lhe o direito de ficar integralmente à disposição do sindicato a que representa, são apenas duas vantagens pecuniárias das muitas outras que deve ter recebido no decorrer de sua vida adulta.Leia Na ÍNTEGRA

Falta de regulação dos bancos pode provocar nova crise daqui a dois anos, diz Paul Singer



Paula Laboissière
Enviada especial da Agência Brasil

Salvador - O secretário Nacional de Economia Solidária, Paul Singer, defendeu hoje (29) a nacionalização de bancos. “Bancos são extremamente poderosos, hegemônicos dentro do capitalismo, quase independentes e condicionam o resto”, disse ele, ao participar do Fórum Social Mundial Temático da Bahia.

Segundo ele, se a situação dos bancos permanecer a mesma e sem regulação, uma nova crise financeira deverá surgir em prazo de dois a quatro anos. “Com a instabilidade, os bancos não escapam”, lembrou. Durante o evento, ele criticou a postura dos próprios capitalistas que apoiam a entrega de uma função essencialmente pública a “especuladores”.

“É proveito só para eles [os bancos] e, por isso, acredito que eles vão acabar sendo nacionalizados. Eles privatizam uma função pública essencial e isso é intolerável. Estou otimista mas, obviamente, não é uma coisa que acontece de um dia para o outro”, completou.

O secretário destacou ainda que o sistema financeiro precisa estar à serviço da sociedade e que isso só pode acontecer na forma de bancos públicos ou comunitários, como na economia solidária.

Órgão da ONU pede cancelamento da dívida externa do Haiti

Jonathan Lynn

GENEBRA (Reuters) - A agência de desenvolvimento da ONU se juntou nesta sexta-feira aos pedidos para o perdão da dívida externa do Haiti, que é de 1 bilhão de dólares, em resposta ao terremoto que devastou o país no dia 12.

A Conferência da Organização das Nações Unidas em Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD, na sigla em inglês) apoiou os pedidos do Fundo Monetário Internacional por um esforço de financiamento semelhante ao plano Marshall dos Estados Unidos que reconstruiu a Europa após a Segunda Guerra Mundial.

"A UNCTAD acredita que essa tarefa deve começar com o cancelamento imediato e total das obrigações de dívida existentes do Haiti", afirmou em uma declaração.

A UNCTAD disse que um estudo sobre o efeito de 21 desastres naturais em países pobres entre 1980 e 2008 apontaram um acréscimo de 24 pontos percentuais na proporção da dívida em relação ao Produto Interno Bruto (PIB) das nações nos três anos seguintes.

"Impactos em tal escala podem iniciar um ciclo vicioso de miséria econômica, maior financiamento externo, serviços de dívida onerosos e investimentos insuficientes para acalmar choques futuros", afirmou.

O Haiti perdeu 60 por cento de seu PIB no desastre, disse na segunda-feira o primeiro-ministro Jean-Max Bellerive, referindo-se à concentração da economia na capital Porto Príncipe, próxima ao epicentro do forte terremoto de magnitude 7.

A UNCTAD disse que os credores deveriam declarar a moratória da dívida do Haiti, seguida do cancelamento o mais rápido possível.

Chutes e caneladas

Por Murillo de Aragão
No Blog do Noblat

A disputa eleitoral brasileira tem uma característica marcante: a ausência de embate aprofundados. Considerando que o modelo vigente é o aceito pelo mundo político, não existe um embate de idéias nem de programas.

Todos são a favor de programas assistenciais, de alguma intervenção na economia, de elevada carga tributária, de políticas industriais e de empresas estatais.

O debate ideológico ocorre na franja da política nacional. Notadamente na esquerda radical composta de micro legendas (PSTU, PCO e PSOL). Na direita, o debate é rarefeito e praticado por algumas poucas figuras. Nenhum partido assume posturas de direita.

O que sobra é uma extensa centro-esquerda, cujas fronteiras se iniciam no PTB e vão até o PCdoB. E incluem PP, PR, DEM, PMDB, PSDB, PPS, PV, PT, PDT e PSB. Sem debate de idéias e de programas, o que sobra é uma resenha de ataques, fofocas e escaramuças jurídicas. Leia na ÍNTEGRA

Operação Piratas S.A. desarticula confecções no interior de Goiás



Daniel Lima
Repórter da Agência Brasil

Brasília - A Receita Federal e a Polícia Civil de Goiás deflagraram hoje (29) a Operação Piratas S.A. na cidade de Jaraguá, no interior goiano, com o objetivo de desarticular grupos que falsificam marcas de confecções nacionais e estrangeiras.

Segundo nota divulgada pela Receita em Brasília, na operação estão sendo cumpridos 18 mandados de busca e apreensão em residências, depósitos e diversos estabelecimentos comerciais, na cidade. A operação envolve cerca de 70 policiais civis e 30 servidores da Receita Federal do Brasil.

A Receita informou ainda que a cidade de Jaraguá, a cerca de 250 quilômetros de Brasília, foi indentificada como um dos maiores pólos brasileiros de pirataria e distribuição de confecções no Brasil.

CPI da Corrupção encerra mês sem produzir nada



Mário Coelho
no Congresso em Foco

A CPI da Corrupção, criada para investigar 18 anos de contratos do governo do Distrito Federal, vai ficar sem presidente por mais uma semana. A reunião extraordinária prevista para a tarde desta sexta-feira (29) foi cancelada pelo presidente em exercício da comissão, Batista das Cooperativas (PRP). Segundo o deputado, a sessão não vai acontecer porque o colegiado aguarda a indicação de novo integrante e a revisão do coeficiente partidário.

A vaga a ser preenchida foi aberta com a renúncia da deputada Eliana Pedrosa (DEM), apresentada na reunião de ontem (28) da CPI. Na última terça-feira (26), o deputado Alírio Neto (PPS) foi tirado da CPI por ter saído do bloco partidário de que fazia parte. Integram a comissão, além do presidente Batista das Cooperativas, o relator Raimundo Ribeiro (PSDB), Geraldo Naves (DEM) e Paulo Tadeu (PT). Com a saída de Eliana, Naves assumiu a vaga do DEM no colegiado. Desta maneira, deve ficar novamente a cargo do PMDB a escolha do novo membro.

Porém, como o PMDB têm seus três deputados envolvidos no mensalão do governador José Roberto Arruda (sem partido), a bancada peemedebista precisa indicar um nome de outro partido para compor a CPI. Isso porque a decisão judicial da semana passada obriga que todos os distritais citados ou investigados no inquérito 650DF, que originou a Operação Caixa de Pandora, e tenham processos por quebra de decoro parlamentar contra si, não podem participar de atividades relacionadas à investigação do governo Arruda.

Com o cancelamento da sessão, a CPI encerra a convocação extraordinária sem ter qualquer tipo de resultado. Aberta em 11 de janeiro, teve uma série de requerimentos aprovados. Os principais não tiveram consequência. O primeiro foi a convocação do ex-secretário de Relações Institucionais do DF Durval Barbosa, autor das denúncias que revelaram o mensalão do Arruda, para depor na CPI. Após a Polícia Federal marcar a data, o próprio Durval pediu para que o depoimento fosse remarcado. O Congresso em Foco que ele desistiu de depor depois de ter sido ameaçado por aliados do governador.

Na mesma reunião, os membros da CPI aprovaram requerimento solicitando ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) toda a íntegra do inquérito 650DF, incluindo as partes sigilosas. O ministro relator, Fernando Gonçalves, criou um auto apartado dentro da investigação. Todas as informações repassadas que necessitam segredo ficam nessa parte. "Até agora a presidência dessa CPI não encaminhou o pedido ao STJ. Nós precisamos de agilidade, não pode ser assim", disse Paulo Tadeu.

Não para aí. Até o momento, por conta das reviravoltas dentro do colegiado, a CPI não tem um programa de trabalho. O relator Raimundo Ribeiro (PSDB) já adiou duas vezes a apresentação do cronograma, mas os distritais tem usado também a comissão como palco para discussões e bate-bocas. Agora, com a falta de um integrante, a tendência é que a CPI tenha seus trabalhos sejam ainda mais postergados.

Inadimplência de empresas em janeiro é a maior desde 2001

Flávia Albuquerque
Repórter da Agência Brasil

São Paulo - O número de empresas que deixaram de pagar suas contas em dia cresceu 18,8% em 2009 na comparação com 2008. Foi o maior percentual desde 2001, segundo o Indicador Serasa Experian de Inadimplência das Empresas. No topo da lista aparecem os títulos protestados (41,5%), seguidos pelos cheques sem fundos (38,6%) e as dívidas com bancos (19,(%).

O valor médio das dívidas com bancos foi de R$ 4.569,30, resultando em 3,9% de aumento. Os cheques sem fundo tiveram valor médio de R$ 1.736,13, com 9,4% de crescimento, e os títulos protestados valiam em média R$ 1.679,83 e tiveram 26,2% a mais de incidência.

De acordo com os economistas da Serasa, os resultados decorrem do receio dos empresários provocado pelo cenário de risco causado pela crise internacional, que ocasionou a menor oferta de crédito e a falta de financiamento no mercado.

A Serasa avaliou que, com a evolução gradual da oferta de recursos, as empresas começaram a retomar os negócios o que cria a expectativa de que em 2010 o crédito para pessoas jurídicas cresça mais do que o destinado ao consumidor, com queda da inadimplência durante todo o primeiro semestre.

Governo não vai prorrogar redução do IPI para eletrodomésticos e automóveis, diz Mantega

Daniel Lima
Repórter da Agência Brasil

Brasília - Os estímulos fiscais para a compra de eletrodomésticos da chamada linha branca, como fogões e geladeiras, não serão prorrogados. O anúncio foi feito em Zurique, na Suíça, pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, que está na Europa para participar do Fórum Econômico Mundial, em Davos, no mesmo país.

A vigência da redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para a linha branca termina neste domingo (31). No caso do setor automotivo, o fim dos prazo para os incentivos está previsto para 31 de março. Os estímulos foram prorrogados no final do ano.

Embora o Fundo Monetário Internacional (FMI) faça previsões de crescimento econômico de 4,7% para o Brasil, o ministro é mais otimista e reafirmou que espera um índice entre 5% e 5,5% em 2010. Para ele, é justamente esse o motivo para o governo não prorrogar as desonerações concedidas a vários setores como o automotivo e o de eletrodomésticos. Essas medidas foram adotadas para ajudar o Brasil a enfrentar a crise econômica mundial, que teve maiores impactos no país no último trimestre de 2008 e se estendeu durante o ano passado.

Mantega lembrou que setor industrial sofreu com a crise, mas que as previsões para 2010 são de crescimento. Ontem (28) a Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgou pesquisa com dados que mostram uma evolução no nível de emprego no setor industrial.

O necessidade do fim dos incentivos fiscais para a linha branca e aos automóveis também é compartilhada pelo ministro do Planejamento, Paulo Bernardo. Ontem o ministro disse que não vê a necessidade na renovação dos incentivos fiscais para esses setores.

Em Davos, o ministro Guido Mantega participa de sessão plenária seguida de entrega do prêmio de Estadista Global ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Lula não viajou por recomendação médica depois de ter uma crise hipertensiva na última quarta-feira (27) à noite, no avião presidencial que o levaria à Suíça. Ele foi representado em Davos pelo ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim.

Além da solenidade de entrega do prêmio, Mantega participa de um painel sobre o Brasil e de uma sessão com líderes economia mundial. Além de Amorim e Mantega, o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles está no encontro.

Especialistas defendem a criação de associação para proteger blogueiros

No comunique - se

Izabela Vasconcelos, de São Paulo

Jornalistas e advogados reunidos no debate “O Direito e a Internet”, na Campus Party, apoiaram a criação de uma entidade nos moldes da Eletronic Frontier Foundation para proteger blogueiros ameaçados ou sob processo judicial. Participaram do debate, realizado nesta quinta-feira (28/01), o jornalista Alessandro Martins, do queroterumblog.com; e os advogados Jorge Araújo, especializado em direito do trabalho; Marcel Leonardi, especialista em direito e internet; e Flávia Penido, do blog ladyrasta; moderados pelo jornalista e professor da PUC-RS, Marcelo Trasel.

Os advogados Jorge Araújo e Marcel Leonardi propuseram a criação de uma organização de proteção a blogueiros, mas alertaram para as burocracias e os tramites jurídicos que o projeto exige. No início, a entidade serviria de apoio educacional sobre os direitos na internet. “No primeiro momento seria uma associação educacional para ensinar aos blogueiros, em detalhes, sem ‘juridiquês’, quais são os limites. Porque vemos muitos erros primários cometidos por eles", afirmou Marcel Leonardi.

Jorge Araújo também apontou a mesma ideia. "Os blogueiros são uma categoria e isso permite a criação de uma associação nesse sentido".

A ideia de criar uma organização foi apoiada pela maioria dos blogueiros presentes na platéia, que pretendem se reunir para conversar sobre o assunto, e ainda demonstraram interesse em apoiar financeiramente a iniciativa.

A advogada Flávia Penido lembrou que existem muitas dúvidas em relação ao trabalho dos blogueiros. “Eles não sabem muito o que podem falar e o que não podem, é uma insegurança jurídica”, afirmou. Para ela, ainda falta o entendimento de que em público é proibida a ofensa, entre outras coisas.

Para Alessandro Martins, o blogueiro deve ter noção da responsabilidade que é escrever na web. "Nós estamos muito na defensiva, porque as pessoas têm o direito de buscar sua defesa. Nossa postura deve ser de que temos o poder da palavra, e que liberdade implica responsabilidade".
Os palestrantes também discutiram sobre o uso do direito de imagem, moderação de comentários e citaram casos conhecidos, como o das blogueiras Alcinéia e Alcilene Cavalcanti, processadas pelo presidente do Senado, José Sarney.

Vizinhos de embaixada em Honduras querem indenização do Brasil



A normalidade começa a voltar ao poucos à vizinhança da embaixada brasileira em Tegucigalpa, onde o ex-presidente de Honduras, Manuel Zelaya, ficou abrigado por mais de quatro meses antes de deixar o país, na última quarta-feira.

Após a saída de Zelaya, as barreiras usadas pelos militares para impedir o acesso aos quarteirões próximos à embaixada foram retiradas e os holofotes utilizados pelas forças hondurenhas para jogar luz sobre o prédio foram desinstalados.

Com o acesso às ruas liberado, os vizinhos começam agora a contabilizar os prejuízos causados pelos quatro meses de cerco, e alguns, inclusive, esperam ganhar algum tipo de indenização por parte do Brasil ou do governo hondurenho.

Muitos dos pontos comerciais, escritórios e consultórios médicos nas imediações viram seu movimento cair de maneira drástica depois que Zelaya se abrigou no prédio da representação diplomática, e alguns tiveram que fechar suas portas.

Grande parte dos clientes se afastou devido à exigência de autorização para entrar na área isolada.Leia na ÍNTEGRA

Amorim recebe prêmio de Lula no fórum de Davos


Foto por 29.jan.2010/Michael Buholzer/Reuters
Ministro Celso Amorim (dir.) recebe em nome do presidente Lula o prêmio Estadista Global das mãos do ex-secretário-geral da ONU, Kofi Annan


Agência Estado

Ministro quebra o protocolo e lê discurso do presidente, que não viajou por estar doente

O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, recebeu nesta sexta-feira (29) o prêmio Estadista Global em nome do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que não pôde comparecer ao Fórum Econômico Mundial após ter sofrido uma crise de hipertensão na última quarta-feira. O ex-secretário-geral da ONU (Organização das Nações Unidas), Kofi Annan, entregou o prêmio ao chanceler brasileiro durante o evento, em Davos, na Suíça.
Pela primeira vez, o Fórum Econômico Mundial quebrou o protocolo e deixou o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, ler o discurso do presidente Luiz Inácio Lula da Silva na cerimônia de entrega do prêmio Estadista Global. O discurso descreveu os avanços obtidos pelo Brasil nos últimos anos, que permitiram uma recuperação rápida em meio à turbulência global, na avaliação do presidente.

A mensagem do presidente brasileiro a Davos também tratou da necessidade de mudanças na economia global, para evitar novas crises, e de esforços mais fortes pela preservação do meio ambiente.

“O Brasil provou aos céticos que a melhor política de desenvolvimento é o combate à pobreza”, disse Lula na mensagem lida por Amorim.

Lula avalia que o olhar para o Brasil hoje é muito diferente do que há sete anos, quando esteve pela primeira vez em Davos, logo que chegou ao poder. E que havia dúvidas sobre o operário sem diploma universitário, vindo da esquerda sindical.

No discurso de 2003, Lula frisou que era necessário construir uma nova ordem econômica internacional.
“Sete anos depois posso olhar nos olhos de cada um de vocês e do meu povo e dizer que o Brasil fez a sua parte", diz a mensagem. "Ainda precisamos avançar muito, mas ninguém pode negar que o Brasil melhorou."

Lula lembrou que 20 milhões de pessoas saíram do estágio de pobreza absoluta em seu governo, enquanto o país reduziu o endividamento externo e se tornou credor do Fundo Monetário Internacional (FMI).

Para Lula, o Brasil caminha para se tornar a quinta economia mundial.

O prêmio Estadista Global, concedido pela primeira vez pelo Fórum Econômico Mundial, foi entregue pelo ex-secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU) Kofi Annan ao ministro Amorim, que representou Lula.

Lula faz crítica capitalismo

O discurso também trouxe críticas ao capitalismo financeiro e à defesa do papel do Estado na economia. O presidente avalia que o principal fator que ajudou o Brasil no combate à crise foi o modelo econômico de incentivo ao crédito e ao consumo e de redução de impostos, reforçado durante a turbulência.

Lula, conforme as palavras lidas por Amorim, pediu uma mudança profunda na ordem econômica, de forma a privilegiar a produção e não a especulação. Segundo ele, os governos devem recuperar o seu papel original, que é o papel de governar. "É hora de reinventar o mundo e suas instituições."

O presidente brasileiro também mandou uma mensagem de frustração com o cenário mundial.

"Os desafios do mundo são maiores que os enfrentados pelo Brasil. O mundo precisa de mudanças mais profundas e complexas."

De acordo com ele, Copenhague foi um exemplo, já que a humanidade perdeu uma oportunidade de avançar na preservação ao meio ambiente.

"Espero que cheguemos com espíritos desarmados (na próxima reunião) no México".

Curitiba - Radares serão religados na segunda-feira



Os radares de fiscalização de velocidade no trânsito serão religados à zero hora desta segunda-feira (1). O religamento foi autorizado pela Justiça. Os 110 equipamentos de fiscalização estavam desligados desde 3 de dezembro último, também por ordem judicial. Os excessos de velocidade registrados a partir da zero hora de segunda gerarão multa aos motoristas.

Em seu despacho, o desembargador Ruy Fernando de Oliveira, 1.º vice-presidente do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR), diz ser "perigoso suspender a fiscalização do trânsito por radares eletrônicos, sem maiores cautelas, mecanismo indispensável para o controle e redução do número de acidentes e mortes no trânsito".Leia na ÍNTEGRA

Cabral faz licitação de R$ 180 mi para mais propaganda

RAPHAEL GOMIDE
da Folha de S.Paulo, no Rio

O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), abriu uma nova licitação no valor de R$ 180 milhões para contratar seis agências de publicidade por um ano. O valor é 80% superior ao da última licitação, de 2008, de R$ 100 milhões anuais para cinco agências.

O governo Sérgio Cabral já gastou R$ 250 milhões em "Serviços de Comunicação de Divulgação" em seus primeiros três anos, de acordo com o Siafem (Sistema Integrado de Administração Financeira para Estados e Municípios). Foram R$ 81,4 milhões em 2007, R$ 82 milhões em 2008 e R$ 86,5 milhões no ano passado.

A sua antecessora, Rosinha Garotinho, gastou R$ 223,7 milhões (em valor corrigido pelo IGP-M, da Fundação Getulio Vargas), em período equivalente, ou menos R$ 26,3 milhões.

A licitação deve acontecer em março e pretende substituir as atuais agências de publicidade, cujos contratos se encerram em setembro. O novo contrato vale por um ano, mas o governo não pode gastar mais do que R$ 83,3 milhões em 2010, ano eleitoral --quando, por lei, os gastos do gênero são limitados à média dos três anos anteriores. Leia na ÍNTEGRA

Licitação da Petrobrás está sob suspeita

redação do Terra

O vazamento antecipado de informações sigilosas colocou sob suspeita a licitação para a escolha das agências publicitárias da Petrobrás, maior contrato de uma empresa pública no País, em torno dos R$ 250 milhões. Os nomes das três primeiras colocadas na primeira etapa da licitação, as agências Heads, Quê e Dentsu, foram publicados no site Propaganda & Marketing às 11h51 de quinta-feira, mais de duas horas antes da abertura dos envelopes com as propostas, marcada para às 14h. As informações são da edição dessa sexta-feira do jornal O Estado de S.Paulo
Apesar da desconfiança das demais empresas concorrentes (foram 18 agências, ao todo), a Petrobrás informou, em comunicado distribuído na noite dessa quinta-feira, que o processo seguirá seu curso normal. Na primeira etapa, que vale 70 pontos, os melhores resultados foram da Heads (60,9 pontos), Dentsu (55,7) e Quê (54,6). Na etapa seguinte, estarão em disputa os 30 pontos restantes. As duas primeiras colocadas já têm a conta da estatal e lutam pela renovação. Fontes da Petrobrás asseguram que "não havia a menor possibilidade de o site ter conhecimento dos nomes das empresas vencedoras do processo antes da abertura das propostas". Isso porque os nomes ficariam desconhecidos da comissão de licitação até a abertura dos envelopes na sessão pública.

Hamas diz que Israel assassinou um de seus fundadores

EFE

No Terra

Um dos fundadores do Hamas, Mahmoud Abdel Rauf al Mabhuh, foi assassinado no último dia 20 de janeiro, em Dubai, anunciou hoje o movimento palestino, que afirmou que o Governo de Israel é responsável pelo crime.

Moussa Abu Marzuk, membro do Hamas, fez as acusações em entrevista à rede de televisão "Al Jazira", do Catar, após a chegada do cadáver de Mabhuh a Damasco, capital da Síria, onde fica a sede política do movimento.

Abu Marzuk não deu detalhes sobre o assassinato e também não explicou o que Mabhuh estava fazendo em Dubai.

"Responsabilizamos Israel pelo assassinato do co-fundador do Hamas", disse, sem meias palavras.

Mabhuh fundou as Brigadas Al Qasam (o braço militar do Hamas) e pode estar por trás da captura de dois soldados israelenses na revolta palestina de 1989.

Nascido no campo de refugiados de Jabalia, em Gaza, foi deportado pelo Exército israelense à Síria em 1989, após passar por prisões israelenses.

A "Al Jazira" citou também um comunicado das Brigadas Al Qasam, que afirma que vão vingar a morte do líder, "no lugar e na data adequada".