sexta-feira, 30 de abril de 2010

BNDES aprova financiamento de R$ 766 mi para expansão do Metrô de SP

Projeto prevê ligar Estação Largo Treze de Maio, da Linha 5, à Estação Chácara Klabin, da Linha 2, nos bairros de Santo Amaro e Vila Mariana; valor correspondente a 13% dos custos


Agência Estado

RIO - O BNDES aprovou financiamento de R$ 766 milhões à Companhia de Metropolitano de São Paulo para a expansão da rede metroviária da capital paulista, segundo nota divulgada nesta sexta-feira, 30, pelo banco. "Trata-se de um dos maiores financiamentos aprovados pelo banco para o setor de transporte público urbano", diz o comunicado.

O financiamento do BNDES corresponde a 13% do investimento total do projeto, de R$ 6 bilhões. Outros recursos para o projeto virão, segundo a nota, do Banco Mundial (BIRD) e do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), além de contrapartida do Estado de São Paulo.

O projeto prevê expandir a Linha 5 do Metrô de São Paulo em 11,5 quilômetros, ligando a Estação Largo Treze de Maio da Linha 5 (Lilás) à Estação Chácara Klabin da Linha 2 (Verde), nos bairros de Santo Amaro e Vila Mariana.

Ainda de acordo com a nota do BNDES, a expansão visa atender à demanda por transporte público entre a zona sul da região metropolitana de São Paulo e a rede de linhas metroferroviárias em operação. Para isso, o Estado de São Paulo prevê concluir a obra de ligação entre as duas estações até 2013.

O projeto, de acordo com o banco, vai gerar cerca de 10 mil empregos diretos durante a fase de implantação, além de mais de 11 mil empregos indiretos nas fases de implantação e operação.

Graeff espera ação do PT e cita música de Chico Buarque

Claudio Leal no Terra Magazine

O tesoureiro nacional do PSDB e coordenador da campanha de José Serra na internet, Eduardo Graeff, ainda examinará a representação do PT contra o partido, pela criação do site "Gente que mente" e do domínio "petralhas", mas está seguro da legalidade das críticas às "mentiras" do presidente Lula e da pré-candidata Dilma Rousseff.

Apesar da ferocidade da ofensiva petista, ele acredita que os opositores fazem bem em recorrer à Justiça, caso se sintam prejudicados pelo site que "faz críticas específicas", e não baixarias, como sustenta. Em conversa com Terra Magazine, no início desta tarde, o tucano ponderou que "não adianta conjecturar" antes de ler "o que tem esse foro".

Ex-secretário-geral da Presidência no governo FHC, Graeff escolheu a canção "Acorda amor", de Chico Buarque, como trilha musical da sua espera. "PT avisa que vai me pôr no pau por causa do gentequemente.org.br. Vou sonhar com camburão. 'Acorda amor!'", postou no Twitter. A música buarquiana se refere à repressão da ditadura militar, e especificamente aos desaparecidos políticos. Questionado pela reportagem sobre a escolha, ele relembrou um verso de Chico: "Já estou com a escova, o sabonete e o violão..."

(Um instante, maestro. O verso no contexto da estrofe: "Não demora/ Dia desses chega a sua hora/ Não discuta à toa não reclame/ Clame, chame lá, chame, chame/ Chame o ladrão, chame o ladrão, chame o ladrão/ Não esqueça a escova, o sabonete e o violão").

O cancioneiro da batalha da web ainda tem um Lado B. Seguidor de Graeff no Twitter, Rogério Guimarães indicou "Mosca na Sopa", de Raul Seixas. Certamente é o primeiro "Toca, Raul!" do conflito PT x PSDB. "Eu sou a mosca/ Que pousou em sua sopa/ Eu sou a mosca/ Que pintou pra lhe abusar...", cantava o roqueiro baiano.

O presidente nacional petista, José Eduardo Dutra, pretende abrir uma ação de danos morais contra o PSDB e Graeff, a partir de investigações do Ministério Público Eleitoral (MPE). A militância tucana também se movimenta nas redes sociais contra o que chama de "censura" do PT ao site "Gente que mente".

"A turma da Dilma Rousseff quer fechar este blog: http://www.gentequemente.org.br/. Visite, divulgue, copie cada mentira lá publicada e envie para 10 pessoas. Forme uma corrente de verdade. Vamos ensinar a turma da Dilma a viver em democracia. Vamos deletar a censura do nosso País", convoca uma mensagem distribuída na internet.

Biblioteca Cidadã pretende democratizar o conhecimento em municípios paranaenses

Lúcia Nórcio
Repórter da Agência Brasil

Curitiba – O projeto Biblioteca Cidadã já implantou no Paraná 92 espaços de leitura desde 2004. A meta até o fim do ano é construir bibliotecas em pelo menos 300 municípios do estado. “Nossa ideia é oferecer às regiões mais carentes um espaço cultural que promova a democratização do conhecimento, seja pelo acervo de livros ou pela inclusão digital”, ressaltou a diretora-geral da Secretaria de Cultura do Paraná, Sônia Shigueoka.

As bibliotecas são construídas em prédios com aproximadamente 180 metros quadrados, em terrenos doados pela prefeitura de cada cidade. As pessoas que vão atuar nos espaços são treinadas pela Biblioteca Pública do Paraná. “Essa ação conjunta estreita a parceria entre a estrutura pública estadual e municipal. O orçamento para cada biblioteca completa é de R$ 312 mil. O acervo inicial é de 2 mil livros que engloba todos os gêneros literários. “Temos 399 municípios, quero atingir 80% do estado com as Bibliotecas Cidadãs. Temos 176 em construção, que serão inauguradas até setembro”, destacou a diretora.

Curitiba é a cidade do Sul do país com maior número de bibliotecas por 100 mil habitantes: 2,97. “O acesso dos curitibanos à cultura, em todos bairros, é uma das maiores prioridades da prefeitura”. diz o prefeito Luciano Ducci. A Rede Municipal de Bibliotecas Escolares de Curitiba recebeu em março, o Prêmio Objetivos de Desenvolvimento do Milênio Brasil (ODM), do Governo Federal. Implantada em 2005, a Rede conta hoje com 171 bibliotecas, com acervo de mais de 700 mil livros.

Outro projeto de leitura da capital paranaense é o programa Curitiba Lê. Dele faz parte o programa Passagens Literárias, minibiblioteca itinerante. Passageiros que aguardam embarque na Rodoviária de Curitiba podem pegar emprestado livros de todos os gêneros. Uma minibiblioteca funciona também no terminal de ônibus do Pinheirinho. A prefeitura tem projetos para implantar nos próximos meses minibibliotecas em mais 20 terminais.

Curitiba recebe na Suécia prêmio de cidade mais sustentável do mundo



Curitiba recebeu nesta quinta-feira (29), em Estocolmo, Suécia, o prêmio de cidade mais sustentável do mundo, o Globe Award Sustainable City. "É um reconhecimento que deve ser estendido a cada morador que contribui para tornar a Curitiba uma cidade sustentável. O prêmio aumenta ainda mais a nossa responsabilidade em planejar e implantar ações que integrem o meio ambiente ao desenvolvimento urbano e social", afirmou o prefeito Luciano Ducci.

O carro-chefe para a escolha de Curitiba foi o programa Biocidade, um sistema de gestão que reúne esforços das diferentes áreas da administração municipal para combater as perdas da biodiversidade no meio ambiente urbano, compatibilizando o desenvolvimento da cidade com a conservação da natureza.

O prêmio foi entregue ao secretário municipal do Meio Ambiente, José Antonio Andreguetto, que representou o prefeito Luciano Ducci na cerimônia no Museu Nórdico de Estocolmo. "A integração é o principio máximo da natureza e da sustentabilidade. Com o Biocidade procuramos imitar esse conceito, conectando as ações de cada área do município ao meio ambiente", disse Andreguetto.

Nos dias 28 e 29, também houve em Estocolmo a Conferência Mundial de Sustentabilidade, onde o Biocidade foi apresentado em um painel, pelo secretário de Relações Internacionais e Cerimonial, Eduardo Guimarães.

O júri avaliou itens como preservação de recursos naturais; bem-estar e relação social nas cidades; inteligência e inovação nos projetos e programas; cultura e lazer; transporte; confiança no setor público e gerenciamento financeiro e patrimonial.

A eleição de Curitiba foi unanimidade entre os jurados que avaliaram ações e programas de várias cidades do mundo. A capital paranaense concorreu ao prêmio com cidades como Sydney, na Austrália; Malmö, na Suécia; Murcia, na Espanha; Songpa, na Coreia do Sul; Stargard Szczecinski, na Polônia.

O objetivo do prêmio é destacar cidades com excelência em desenvolvimento urbano sustentável e torná-las exemplos positivos para outras cidades. Em janeiro, a cidade ganhou o Sustainable Transport Award, em Washington, pela implantação da Linha Verde, que também está integrada ao conceito do Biocidade.

"Curitiba apresentou um plano holístico sólido que integra todos os recursos estratégicos conectados com inovação e sustentabilidade futura", disse Jan Sturesson, presidente do comitê de jurados do Globe Award.

O júri é formado por Jan Sturesson, do World Economic Forum, na Suécia; Lawrence Bloom, membro do Programa Ambiental da ONU; Marilyn Hamilton, fundador da Integral City Meshworks Inc.; C. S. Kiang, professor da Universidade de Pequim; Carlos Arruda, diretor de realações internacionais Fundaçao Dom Cabral.Curitiba apresentou o Biocidade na Conferência Mundial de Sustentabilidade Globe Forum, evento paralelo a premiação. A cidade também ganha dois anos como membro especial do Globe Forum, em 2010 e 2011, e destaque nas Conferências que acontecerão em Dublin, em novembro de 2010, e em Gdansk, em 2011.

Conheça o Biocidade: WWW.biocidade.curitiba.pr.gov.br.

PT avisa no Twitter que processará PSDB por registrar domínio petralhas.com

Lideranças petistas escreveram hoje no Twitter (microblog) que o partido entrará com uma representação contra o PSDB pelo registro de domínios na internet de páginas que podem ser usadas para desqualificar o PT e sua pré-candidata à Presidência, Dilma Rousseff.

As representações usarão como base o fato do site gentequemente.org.br ter sido registrado em nome do PSDB. O domínio petralhas.com.br, que está inativo, foi registrado por Eduardo Graeff, coordenador da pré-campanha do candidato tucano José Serra.

"Daqui a pouco vamos impetrar ação contra o PSDB por patrocinar sites e blogs que assassinam reputações.Ou os tribunais só punem o PT?", questionou André Vargas, secretário de comunicação do PT, no Twitter.

Anteontem, Graeff negou participar da distribuição de boatos contra o PT e disse que a ideia de registrar o domínio "petralhas" foi inspirada no livro "O País dos Petralhas", do jornalista Reinaldo Azevedo. Sobre o "Gente que Mente", Graeff afirmou que a intenção do PSDB é desmentir boatos como os de que o partido, no governo, acabaria com o Bolsa Família.

Conheça o pavilhão brasileiro na Expo Xangai

A China abriu esta semana a Exposição Mundial de Xangai, com mostras sobre economia, ciência e tecnologia trazidas de diversas partes do mundo.

A repórter da BBC Mishal Husain visitou o pavilhão brasileiro na Expo Xangai 2010, que traz vídeos e atrações interativas sobre o cotidiano dos brasileiros, as suas características étnicas e os planos para sediar a Copa do Mundo de 2014.

A Expo, que teria custado mais do que as Olimpíadas de Pequim, deve receber 70 milhões de pessoas nos próximos seis meses.

Esta é a primeira vez que um país em desenvolvimento sedia a Expo.

Confira a entrevista da repórter da BBC com o diretor do pavilhão brasileiro, Pedro Wendler, em inglês com legendas.



Ministro do STF nega habeas corpus a esposa do governador do Mato Grosso do Sul

no última Instância

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Ricardo Lewandowski, negou habeas corpus a Elizabeth Puccinelli, esposa do governador do Mato Grosso do Sul, André Puccinelli, que pedia o arquivamento do processo que tramita contra ela no Supremo, por suposta prática de lavagem de dinheiro. O governador também está envolvido na ação penal.

Leia Mais:
STJ concede liminar para governador do Mato Grosso do Sul não ser preso

Os advogados da esposa do governador alegam que faltaria justa causa para o prosseguimento da ação penal, por supostos defeitos na acusação. A defesa argumenta que os réus se defendem dos fatos narrados na denúncia e não do tipo penal indicado.

A ausência da descrição da conduta supostamente praticada impediria o pleno exercício do contraditório e da ampla defesa.

Em sua decisão, o ministro Ricardo Lewandowski afirma que a defesa não demonstrou a presença dos requisitos autorizadores para a concessão de medida cautelar.

O ministro acrescenta que “a cautelar pleiteada tem caráter satisfativo, confundindo-se com o próprio mérito da impetração, o qual será oportunamente examinado pela Turma julgadora”.

Com essa argumentação, Lewandowski negou o pedido de liminar e determinou que sejam solicitadas informações à relatora da ação penal em curso contra Elizabeth Puccinelli no STJ (Superior Tribunal de Justiça). “Em especial quanto ao recebimento da denúncia oferecida em desfavor da ora paciente”.

Além disso, o ministro determinou que o procurador-geral da República também seja ouvido.

‘Decisão foi inteligente e justa’, afirma brigadeiro

Talita Figueiredo, Moacir Assunção e Fausto Macedo - O Estado de S.Paulo

O brigadeiro Ivan Frota elogiou a decisão do Supremo Tribunal Federal de rejeitar a ação da OAB pela revisão da Lei de Anistia. "A decisão é inteligente e justa e, acima de tudo, não vai levantar o problema de crimes piores que foram praticados por terroristas durante o governo militar", disse ele, que foi presidente do Clube da Aeronáutica e candidato à Presidência em 1998 pelo PMN.

"Falou-se dos crimes comuns que teriam sido praticados pelo governo militar, mas até agora ninguém falou dos crimes de terrorismo, praticados pelos revoltosos que se opunham ao governo militar. Assim, fica a pedra onde já havia sido colocada", disse.

"Foi uma decisão correta porque tomada de acordo com a intenção do legislador naquele momento histórico e porque atende ao temperamento, ao ânimo do brasileiro", declarou o advogado Roberto Delmanto. "O texto da Lei de Anistia não deixou dúvida. Havia esse desejo, o povo e os perseguidos queriam isso. Foi um acordo possível."

"Acho que quem viveu aquela época percebeu que realmente era uma anistia ampla, geral e irrestrita", assinala Delmanto. "Todos estavam cansados da ditadura, os exilados queriam voltar. Eu vivi bem esse tempo. Não há dúvida que a intenção era por anistia para todos os lados. Houve a volta dos exilados, todo mundo feliz. Foi a anistia possível."

Para o constitucionalista Ives Gandra Martins a "decisão foi perfeita". "Absolutamente correta porque quando se fala em crimes conexos é evidente que a tortura está entre esses crimes e a legislação penal não pode retroagir para punir quem quer que seja. Os tratados internacionais são posteriores à Lei de Anistia."

Para Ives, a legislação atual foi proposta pela esquerda. "Foram os guerrilheiros que fizeram a proposta, exatamente porque queriam voltar a participar da vida política. Tanto foi assim que estão todos no governo. Não deve haver volta ao passado. Quando se coloca uma pedra sobre um assunto, isso deve ser para valer."

David Cameron vence debate eleitoral no Reino Unido, diz pesquisa

LONDRES - Uma nova pesquisa divulgada nesta sexta-feira indica que o líder do Partido Conservador britânico, David Cameron, venceu o último debate antes das eleições de 6 de maio no Reino Unido, deixando o atual primeiro-ministro, Gordon Brown, em segundo, e o líder do Partido Liberal Democrata, Nick Clegg, em terceiro. Segundo a sondagem "Guardian/ICM", 35% dos consultados preferiram o desempenho de Cameron, enquanto 29% consideraram o trabalhista Brown o melhor. Clegg ficou com 27% da preferência.

Foram entrevistadas 510 pessoas por telephone após o debate da noite de quinta-feira, o último dos três realizados ao longo da campanha. A margem de erro é mais ou menos quatro pontos percentuais.

Vereador do MA manda deter e algemar jornalista que cobria sessão de Câmara

ESTELITA HASS CARAZZAI
da Agência Folha

O jornalista Edmundo Moreira da Silva, 53, foi algemado e detido por guardas municipais durante uma sessão da Câmara Municipal de Timon (MA), anteontem à noite.

Ele e o cinegrafista Magno Ferreira, 27, acompanhavam a votação de um projeto que efetivava os 350 agentes de saúde do município. Os dois trabalham para o site Portal Hoje.

Assista o momento que o jornalista foi detido

Enquanto aguardavam o início da sessão, dois guardas municipais abordaram os jornalistas e disseram que eles teriam de se retirar por não terem autorização do presidente da Casa, vereador Antônio Borges Pimentel, para filmar o evento.

"Disseram que faz parte do regimento interno da Câmara, mas nunca antes haviam nos incomodado com isso", diz Silva. Segundo ele, nas outras sessões em que levou a filmadora, ninguém foi solicitado a desligar o equipamento.

Diante da negativa em sair, Silva foi detido à força, levado para um camburão e de lá para a delegacia, onde foi autuado por desacato à autoridade.

Segundo a assessoria de imprensa da Câmara de Timon, o jornalista foi detido porque "alterou a voz" e falou "palavras de baixo calão" aos guardas.

A cena pode ser vista em um vídeo na internet. O jornalista, elevando a voz, afirma que está trabalhando "numa casa pública" e que não vai sair, ao que o guarda municipal responde: "Cala a boca, rapaz". A confusão aumenta e Silva é agarrado, algemado e arrastado para fora, diante dos gritos do público.

A Folha telefonou para o comandante da guarda municipal de Timon, mas seu celular estava fora da área.

Segundo a assessoria da Câmara, os jornalistas são solicitados a desligar as câmeras de vídeo "sempre que possível". "Eu sou só um. É complicado dar conta de tudo", afirma o assessor Walber Júnior.

O Sindicato dos Jornalistas do Piauí divulgou nota de repúdio pela agressão.

Aécio afirma que prefeitos do PSDB só poderão apoiar a candidatura de José Serra

Marcelo Portela

BELO HORIZONTE - O governador de Minas Gerais, Antônio Anastasia (PSDB), afirmou nesta quinta-feira que o estado não vai retaliar prefeitos aliados que aderirem à "Dilmasia" - voto no próprio Anastasia para o governo e na candidata petista, Dilma Rousseff , para a Presidência, no lugar do tucano José Serra. De acordo com o governador, o estado é "republicano" e opositores não são "inimigos", mas "adversários eventualmente".

Essa decisão vale apenas para os partidos aliados, pois a direção do PSDB alerta que prefeitos da legenda que não apoiarem Serra serão expulsos do partido.

- A política em Minas Gerais é feita sempre com base no entendimento, no convencimento com as ideias. O (ex) governador Aécio Neves ao longo destes sete anos governou Minas da forma mais republicana possível. E é claro então que é difícil falar em retaliação. Há sempre o convencimento, mostrar quem é melhor, e esse será nosso esforço - afirmou o governador.

Anastasia citou o caso da prefeita petista Maria José Haueisen, de Teófilo Otoni, no Vale do Mucuri, que elogiou Aécio em visita recente à cidade, quando ainda era governador.

"Dilmasia" é uma referência ao fenômeno que ficou conhecido como "Lulécio", quando o eleitorado mineiro votou no petista Luiz Inácio Lula da Silva para presidente e no tucano Aécio Neves para governador, em 2006.

- Esse é um fantasma devidamente exorcizado. O PSDB tem uma norma definida: é José Serra para presidente, Anastasia para governador e Aécio para o Senado. Aqueles prefeitos que se sentirem desconfortáveis, estão à vontade para procurar outra filiação partidária. Seremos extremamente rigorosos com isso - disse o presidente do diretório estadual tucano, deputado federal Narcio Rodrigues.

Aécio visita Anastasia na sede do governo

A posição é a mesma de Aécio Neves, que nesta quinta-feira fez sua primeira visita a Anastasia na sede do governo depois de deixar o cargo.

- No caso do PSDB, não há hipótese de, seja prefeito, vereador ou militante, não estar apoiando a candidatura de José Serra ou a candidatura de Antonio Anastasia. Prefeito do PSDB não vai apoiar ninguém, nenhum outro candidato, que não seja do PSDB. Essa hipótese não existe - afirmou o ex-governador de Minas.

leia mais no O GLOBO

Aposentados: votação será terça-feira

O PMDB reafirmou ontem que trabalha para o partido ter posição única na Câmara e no Senado quanto ao reajuste dos aposentados que ganham acima do mínimo. Mas ainda precisa convencer os senadores do partido, que defendem 7,7% contra os 7% já acertados pelos deputados. A posição foi reforçada ao longo do dia, antes do encontro do presidente Lula com os senadores da base aliada, que ocorreu à noite. A votação foi adiada para terça-feira, mas o impasse permaneceu mesmo após a reunião com Lula. Segundo o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), o assunto não chegou a ser debatido com o presidente, pois a reunião foi dominada pela discussão dos projetos do pré-sal. Jucá reconheceu que o impasse continua:

- As negociações continuam na semana que vem.

MS: cidade sofre com chegada de "brasiguaios" expulsos

Portal Terra

CUIABÁ - A cidade de Itaquaraí (MS) pode decretar situação de emergência depois que cerca de 1,5 mil "brasiguaios" - brasileiros que moram no Paraguai - acamparam na BR-163, entre o município e Naviraí, a 390 km de Campo Grande. Segundo a prefeita Sandra Cassone (PT), a estrutura da cidade, que tem 22 mil habitantes, não comporta a chegada dos novos moradores, que alegam terem sido expulsos do país vizinho por policiais, milicianos e camponeses. As informações são do jornal Folha de S.Paulo.

O êxodo começou há cerca de três meses. Os brasiguaios afirmaram que as terras compradas por eles no Paraguai estavam sendo invadidas por paraguaios, insatisfeitos com a presença brasileira na região. Segundo a prefeita de Itaquaraí, a situação nos acampamentos é "degradante", o que motivou a realização de um levantamento pela Defesa Civil municipal para que a prefeitura possa decretar situação de emergência e angariar recursos para as famílias. O chefe da missão diplomática do Paraguai no Brasil, Didier Olmedo, disse que a embaixada não recebeu comunicação oficial sobre o conflito agrário no país.

Tire suas dúvidas sobre a crise de segurança no Paraguai

O Paraguai vive uma crise de segurança desde sábado, quando o governo decretou estado de exceção em cinco departamentos (Estado) do norte para combater um grupo chamado EPP que, conforme especialistas, não possui nem cem integrantes. Em meio ao regime especial, o senador Robert Acevedo sofreu um atentado em Pedro Juan Caballero que resultou na morte do motorista e do guarda-costas dele e na prisão de dois brasileiros.

Leia abaixo perguntas e respostas sobre o caso:

1. O que é o estado de exceção?
Decretado no sábado, dá ao Executivo paraguaio direito de proibir agrupamentos públicos e de ordenar prisões e às Forças Armadas o de usar artefatos de guerra contra criminosos comuns.

2. Qual é a região sob essa medida?
O estado de exceção vigora em cinco departamentos (Estados) do norte do país, San Pedroberço político do presidente Fernando Lugo, Presidente Hayes, Concepción, Alto Paraguai e Amambay. Os três últimos fazem fronteira com o Brasil.

3. Qual o objetivo do estado de exceção?
O regime foi decretado dias após uma chacina na cidade de Horqueta, em Concepción, que deixou quatro mortos, sendo um policial. O grupo apontado culpado, o EPP, seria o principal alvo do estado de exceção.

4. O que é EPP?
O Exército do Povo Paraguaio é uma facção do PPL, Partido Pátria Livre, sem representação parlamentar. Luta contra a concentração fundiária no país, uma das maiores do mundo. Segundo a polícia paraguaia, o grupo possui algumas dezenas de integrantes e age em áreas de selva. Parte dos guerrilheiros teria recebido treinamento das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia).

5. O EPP atacou o senador Robert Acevedo?
O caso ainda está sob investigação, mas a hipótese principal é a de que o crime tenha relação com o narcotráfico, que o senador desafiava com frequência. Os bandidos permitiram que ele fugisse durante a ação, o que indicaria que os atiradores eram de fora.

6. Por que brasileiros foram presos?
Dois brasileiros, Eduardo da Silva e Marcos Cordeiro Pereira, foram presos pouco após o ataque ao senador Acevedo. Não há confirmação sobre eventuais provas colhidas contra eles. Mais dois (Josué dos Santos e Daniel dos Santos) foram presos no dia seguinte. Os quatro são acusados de integrar a facção criminosa paulista PCC (Primeiro Comando da Capital).

Pirelli fará proposta para fornecer pneus da F-1

da Efe, em Roma

A empresa italiana Pirelli anunciou que apresentará à FIA (Federação Internacional de Automobilismo) e à FOM, empresa que gerencia a F-1, uma oferta para fornecer os pneus de todas as equipes que participam da categoria.

Segundo comunicado emitido pela empresa, a oferta será feita até o próximo Grande Prêmio de F-1, que será disputado em Barcelona.

Com o anúncio, a Pirelli se une à francesa Michelin e à anglo-americana Cooper-Avon na intenção de se transformar na sucessora da Bridgestone, depois que a companhia japonesa anunciou sua saída da categoria.

Lula diz que brasileiro é povo "purificado"

SIMONE IGLESIAS
na Folha Online

Ao exaltar nesta quinta-feira a atuação da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) em países africanos e da América Latina, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que o brasileiro é fruto de uma 'genética purificada'. E mais: afirmou que não existe povo no mundo mais 'purificado'.

"Somos o resultado de uma tríplice mistura, ou seja, uma genética purificada em três continentes que resultou no povo que somos nós. Não sei se tem povo igual, melhor não tem, mais purificado não tem", afirmou.

O presidente pediu à plateia que o assistia em evento de aniversário de 37 anos da estatal, que "fechasse os olhos" e imaginasse o Brasil sem a Embrapa. Em seguida, afirmou que ela é motivo de orgulho para o país e que a empresa está ajudando a garantir ao mundo segurança alimentar.

Promotoria de NY abre investigação criminal contra Goldman Sachs

na BBC Brasil

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos abriu uma investigação criminal para descobrir se o banco de investimentos Goldman Sachs cometeu fraudes na Bolsa envolvendo a comercialização de produtos hipotecários.

A investigação ainda está em estágio preliminar e, segundo a imprensa americana, é incerto se ela pode resultar em algum indiciamento.

A medida foi tomada em resposta a um pedido feito pelo SEC (Securities and Exchange Commission, órgão que regula o mercado de capitais americano, semelhante à Comissão de Valores Mobiliários brasileira), que está movendo uma ação civil por fraude contra o banco.

A ação da SEC se refere a um produto financeiro atrelado a hipotecas de alto risco (chamadas subprime), negociado pelo banco em 2007, quando o mercado imobiliário dos Estados Unidos começava a apresentar problemas (que depois levariam à crise financeira mundial).

Segundo a acusação da SEC, o banco deu "declarações falsas" e omitiu "informações vitais" sobre o produto financeiro, o que favoreceu o banco e prejudicou investidores.

Para poder indiciar o banco, os promotores do Departamento de Justiça precisarão reunir provas de que a empresa ou seus funcionários cometeram fraude deliberadamente na venda de produtos hipotecários.

O Goldman Sachs se defende das acusações. Na terça-feira passada, o presidente do banco, Lloyd Blankfein, negou em depoimento ao Senado americano que a instituição tenha cometido irregularidades.

"Temos sido uma empresa voltada ao cliente por 140 anos e se nossos clientes acreditam que se não merecemos a confiança deles, não sobreviveremos", disse ele.

Segundo o Wall Street Journal, apesar de várias ações civis e investigações criminais, nenhum executivo de Wall Street ligado à recente crise das hipotecas foi condenado por ofensas criminosas.

O SEC e o Departamento de Justiça normalmente coordenam suas ações em investigações como essas, diz o WSJ. Esta nova investigação mostra os esforços da promotoria em processar os executivos e crimes cometidos em Wall Street, diz o jornal.

Um porta-voz do banco afirmou que a empresa vai cooperar com qualquer pedido de informação.

A Copa do Mundo é nossa?


Atrasos nas obras dos estádios e de infraestrutura acendem sinal amarelo: a Copa de 2014 no Brasil está ameaçada?

Preocupado com atrasos nas obras, ministro do Esporte começa a mandar recados às sedes que receberão os jogos do campeonato de futebol em 2014. A demora acende sinal amarelo e pode até ameaçar realização do evento no Brasil

Mário Coelho no Congresso em foco

Nos últimos sete dias, o ministro do Esporte, Orlando Silva, passou a mandar recados diretos para os estados e municípios que receberão os jogos da Copa do Mundo de Futebol de 2014. Cobrou agilidade na execução das obras e chegou a sugerir a diminuição das cidades sedes de 12 para oito. Depois, por meio de nota oficial, afirmou que não existe plano B para a realização do evento. O ministro faz o que lhe cabe: pressiona. Apesar desse novo ímpeto, porém, parlamentares da oposição querem saber do comandante da pasta os motivos para o atraso na realização de obras de infraestrutura e de construção de estádios e que riscos eles trazem para a ralização da Copa de 2014.

A oportunidade para Orlando Silva responder era a audiência pública marcada para a manhã de ontem (29) na Câmara. Realizada pela Subcomissão de Fiscalização da Copa de 2014, tinha a presença dele e do titular da pasta das Cidades, Márcio Fortes, confirmadas. Porém, Silva não apareceu. Aos parlamentares, disse que ocorreu um imprevisto na sua agenda. No mesmo horário previsto para iniciar a audiência, o ministro do Esporte firmou um acordo de cooperação com o Ministério do Meio Ambiente para elaborar e implantar uma agenda sustentável para a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro. Leia íntegra aqui

Ahmadinejad diz que união entre Oriente e Ocidente não derrubaria o Irã

EFE no R7

Presidente iraniano diz que país está preparado para qualquer ataque

O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, afirmou que a união entre Oriente e Ocidente não terá força para derrubar seu país. Em discurso divulgado pela televisão estatal em inglês PressTV, o líder garantiu que seu país está preparado para se defender de qualquer ataque.

- A história da República Islâmica mostra que, nem sequer quando Ocidente e Oriente se uniram, conseguiram se apropriar de uma polegada de território iraniano - disse, em discurso pronunciado na noite de quinta-feira (29) na ilha iraniana de Kish, no Golfo Pérsico.

- Hoje em dia, não há poder algum no mundo que pode sequer fazer uma ferida leve à nação iraniana. Qualquer mão, em qualquer parte do mundo, que tente disparar contra o Irã, será cortada antes de puxar o gatilho - afirmou.

Grande parte da comunidade internacional, com destaque para os Estados Unidos, acusa o regime iraniano de ocultar, sob seu programa nuclear civil, outro, de natureza clandestina e ambições bélicas, cujo objetivo seria adquirir um arsenal atômico, alegação que Teerã nega.

A queda-de-braço se agravou nos últimos meses, e desde então Washington trabalha em nova bateria de sanções que pode ser apresentada em poucas semanas ao Conselho de Segurança das Nações Unidas.

Ivan Lessa: Jazz acabou em pizza



Colunista comenta o fim de mais uma casa dedicada ao jazz em Londres.

O jazz acabou. No Reino Unido. Nos Estados Unidos. Até mesmo na França o jazz (foi duro) acabou.

Segundo uma escola, o jazz acabou no dia 2 de setembro de 1998. De tarde. Outra, menos exigente, afirma que o triste evento se deu com a passagem do milênio. Uma escola muito pobre e triste chegou mesmo a dar uma nota em sua publicação trimestral, O Mundo do Jazz, intitulada Aqui Jaz o Jazz. Para verem como era democrática a instituição: até mesmo os mais curtos de inteligência eram aceitos e, na medida do possível, suportados. A última vez em que se fez jogo de palavra com o verbo "jazer" e a modalidade musical foi em São Paulo numa revista de sociedade em meados de outubro de 1963.

Voltemos ao réquiem. Esses caras que sobraram e que se dizem "jazzeiros" (a cunhagem é deles) tem tanto a ver com a música quanto eu com a astrofísica, conforme uma boa parte de estudiosos (também acabaram) afirmava, nasceu em Nova Orleans e, em particular, com King Oliver, Kid Ory e a inevitável, a assombrosa figura de Louis Armstrong. Sonny Rollins, a exceção que comprova a regra.

Sempre gostei de jazz. Vinha-me aos ouvidos e entranhas com a mesma naturalidade do samba e, apesar de chamado de, conforme Carmen Miranda, "americanizado" pelas alas politicamente corretas da época, eu e muitos, mas muitos brasileiros mesmo gostávamos e comprávamos os discos e esperávamos ardentemente que um figuraço daquele mundo tão distante quanto Marte nos fizesse uma visitinha pessoal ou, de preferência, uma excursão musical.

Lembro-me nos anos 50 de ir ver Xavier Cugat no Cine Odeon, no Centro do Rio, que nada, mas absolutamente nada, tinha a ver com jazz, mas, ao menos, deveria ter passado perto de, digamos, Stan Kenton ou Gerry Mulligan. Cugat tocou Begin The Beguine, fez graça e acabou contratando, diante de aplausos da platéia presente (eu lá, feito um idiota), um violinista brasileiro. Después se fué, para voltar a filmar na Metro, no finzinho de sua carreira e da de Esther Williams também.

Não muito tempo depois, cortesia do Departamento do Estado, veio Dizzy Gillespie com sua orquestra toda. Também se apresentou no Odeon. Bati firme o ponto e cheguei mesmo a dar uma peruada num almoço que o Adolfo Bloch ofereceu a ele e sua gente boa na sede da revista Manchete, à época situada na Frei Caneca.

No final dos anos 50, início dos 60, tudo quanto é cantor, influenciado ou não por jazz - e todo bom cantor é, de certa maneira, um cantor de jazz (inclusive Doris Day, mas isso é outro papo) - deu as caras e os pulmões no Rio. Coisas da noite e da grã-finagem leviana que a frequentava inquieta buscando novidades. Lá, no Rio, se apresentaram Sarah Vaughan, Ella Fitzgerald, Billy Eckstine, Sammy Davis Jr., Roy Hamilton, Vic Damone, Billy Daniels. Gente que não acabava mais. Até que os grã-finos se cansaram e foram brincar de outra coisa. Era a vida deles. A nossa, apenas uma beirada.

Corte para Londres do fim dos anos 60. Aqueles mesmos anos das flores, da paz, do amor, dos bichos. Cá estavam o Ronnie Scott's, em Frith Street, no Soho, empreitada de dois músicos de jazz britânicos vidrados - é o costume - no gênero. Perdendo dinheiro e a muito custo trazendo todo mundo que era alguém para tocar no clube. Você pagava 5 libras na entrada, virava sócio e podia ficar no bar fazendo rendar o quanto desse uma cerveja ou um gim tônica.

Foi assim que vi quem valia a pena ser visto e, principalmente, ouvido. De Ben Webster, que teve a gentileza de me deixar pagar uma cerveja para ele, e ficou aos palavrões se queixando de Amsterdã e de que lá nada havia a não ser tomar cerveja e jogar sinuca o dia inteiro. Teve também... Os casos se multiplicam, as pessoas se confundem com eles. Dakota Staton, Count Basie, Zoot Sims, Buddy Rich e por aí afora.

Ronnie Scott, como todo mundo, como o jazz, inclusive e principalmente, morreu. Enterro concorrido. Babau o clube, babau o gênero.

Sobrou o Pizza in the Park. Ali em frente ao Hyde Park. Também porque o dono se chegava a um intérprete, em geral cantor com raízes no jazz. Cleo Laine, Johnny Dankworth, Claire Martin, Barbara Cook, Marlene Verplank, Bobby Short, todos eles eu peguei lá. A preços módicos. Garrafa de Valpolicella, pizza margherita, e estávamos conversados. Mais de uma vez, dei com Harold Pinter lá. Ou ele comigo.

Resumo da história: vai acabar o Pizza in the Park. Vão construir um prédio no local privilegiado em todos os sentidos. E o pouco que sobrou de música popular de qualidade ainda mais pobre ficará. Restam enganações feito Jamie Cullum, Diana Kral, Elvis Costello e uma turma danada de chatinha.

Assim caminha - ou se arrasta para o fim - a humanidade. Mais coisa a botar na lista de obituários e necrológios pessoais: jazz, cantores. Vai se vivendo. Se isso, sem aquilo, é vida.

STF rejeita revisão da Lei da Anistia

Mariângela Gallucci de Brasília - O Estado de S.Paulo
A anistia é ampla, geral e irrestrita. O Supremo Tribunal Federal (STF) concluiu ontem que a Lei de Anistia é válida e, portanto, é impossível processar penalmente e punir os agentes de Estado que atuaram na ditadura e praticaram crimes contra os opositores do governo como tortura, assassinatos e desaparecimentos forçados.

Depois de dois dias de julgamento, a maioria dos ministros do STF rejeitou ação proposta pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) que questionava a concessão de anistia a agentes da ditadura e propunha uma revisão. No debate, venceu, por 7 votos a 2, a tese defendida pelo relator da ação, Eros Grau, ele próprio uma vítima da ditadura.

Grau disse não caber ao STF alterar textos normativos que concedem anistias. O ministro observou que a Lei de Anistia resultou de amplo debate, que envolveu políticos, intelectuais e entidades de classe, dentre as quais, a própria OAB.

Na sessão de ontem, os ministros Cármen Lúcia, Gilmar Mendes, Ellen Gracie, Marco Aurélio, Celso de Mello e Cezar Peluso seguiram o voto de Grau. Ayres Britto e Ricardo Lewandowski concluíram que a Lei de Anistia não poderia perdoar crimes hediondos e equiparados.

"O torturador experimenta o mais intenso dos prazeres diante do mais intenso dos sofrimentos alheios", argumentou Ayres Britto. "O torturador é uma cascavel que morde o som dos próprios chocalhos." Para ele, os torturadores são "tarados", "monstros" e "desnaturados".

Transição. Os ministros que votaram pela validade da Lei de Anistia fizeram questão de reprovar os atos de tortura e ressaltar que a sociedade tem o direito de saber o que aconteceu. Mas afirmaram que a anistia garantiu uma transição mais rápida e pacífica para o regime democrático.

"O Brasil é devedor desses companheiros, não de armas, mas da política. Aqueles que realmente acreditaram na via do diálogo e na política como forma de construir soluções", afirmou o ministro Gilmar Mendes.

Cármen Lúcia disse que era necessário levar em conta o contexto do período em que foi negociada a anistia. "Não vejo como julgar o passado com os olhos apenas de hoje", afirmou. O decano do STF, Celso de Mello, observou que a anistia brasileira foi bilateral. "A improcedência da ação não impõe qualquer óbice à busca da memória."

Ellen Gracie afirmou que a anistia, inclusive dos que praticaram crimes "nos porões da ditadura", foi o preço pago para acelerar a democratização. "Não se faz transição pacífica entre um regime autoritário e a democracia sem concessões recíprocas", disse. "Não é possível viver retroativamente a História."

Marco Aurélio Mello era contra o STF julgar a ação da OAB. Para ele, independentemente do resultado, o julgamento não traria efeitos práticos. "Nossa discussão é estritamente acadêmica, para ficar nos anais da corte", argumentou.

Na mesma linha, Peluso ressaltou que mesmo que o STF julgasse procedente a ação da OAB não haveria efeito porque os crimes já estariam prescritos. Disse também que só uma sociedade com elevados sentimentos de solidariedade é capaz de perdoar. "Se é verdade que cada povo resolve seus problemas históricos de acordo com sua cultura, sua índole, sua história, o Brasil fez a opção pelo caminho da concórdia."

Bonde. A OAB reagiu à decisão do Supremo. Para o presidente da Ordem, Ophir Cavalcante, a corte "perdeu o bonde da história". "Lamentavelmente, o STF entendeu que a Lei de Anistia anistiou os torturadores, o que, ao nosso ver, é um retrocesso em relação aos preceitos fundamentais da Constituição e às Convenções Internacionais."


Para entender

1.
O que é a Lei de Anistia?
Promulgada em 1979, a lei anistiou os cidadãos punidos por ações contra a ditadura - como funcionários públicos afastados de seus cargos, pessoas com direitos políticos cassados, ativistas presos ou no exílio. De acordo com a interpretação firmada na época, a lei também beneficiou os agentes de Estado acusados de violarem direitos humanos.
2.
O que o STF julgou?
O STF julgou uma ação na qual a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) questionou essa interpretação da lei.
3.
O que pediu a OAB?
Na ação, a OAB pediu que o STF definisse que a anistia só atingiu perseguidos políticos. Não se estendeu aos policiais e militares que, a serviço do Estado, cometeram crimes comuns como homicídio e tortura.
4.
O que acontece agora?
Continua vigorando a interpretação definida em 1979.

Sucessão na Previ: a lógica de Sergio Rosa


O próximo presidente da Previ exercerá uma espécie de mandato-tampão. Assumirá no dia 1º de junho e ficará até o final do ano: se José Serra vencer em outubro, o escolhido sai; se Dilma Rousseff triunfar, as chances de ele ficar são mínimas.

Por isso, Sérgio Rosa, o atual presidente, aposta que Joilson Ferreira, diretor de Participações da Previ e seu braço-direito, emplaca como presidente-tampão – apesar da oposição de Aldemir Bendini, o presidente do Banco do Brasil.

Aos mais próximos, Rosa justifica a opção por Joílson pela mesma lógica que regeu a substituição dos minitros que deixaram seus cargos no dia 3 de abril para disputar a eleição de outubro. A lógica de Lula foi nomear os secretários-executivos dos ministérios para que a máquina não deixasse de andar. Em resumo, se a regra for mantida Joílson será o novo presidente da Previ.

Por Lauro Jardim

Meirelles diz que BC não tem meta de câmbio

Elaine Patricia Cruz
Repórter da Agência Brasil


São Paulo - O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, disse na noite de hoje (29) que a instituição não tem meta de câmbio.

“Não temos meta de câmbio, não temos piso, não temos meta e não temos banda. O Banco Central tem uma política de comprar reservas para aumentar a resistência do país e compra aquilo que é oferecido pelo mercado nos leilões”, afirmou.

Segundo Meirelles, o Banco Central “tem terminado de comprar o excesso [de dólares], isto é, o saldo líquido de entrada [da moeda americana]”. De acordo com ele, o que o BC tem feito é aumentar as reservas, de um lado, e também evitar distorções na formação de preços por excesso ou falta de liquidez.

O Banco Central realizou hoje dois leilões de compra da moeda, o que impediu uma queda maior do dólar em relação ao real.

Meirelles não quis comentar o aumento na taxa de juros básica, a Selic, determinado pelo Comitê de Política Monetária (Copom). Ele preferiu dizer que o assunto estará na ata da reunião que será apresentada na semana que vem.

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Celso de Mello confirma rejeição ação da OAB que contesta Lei de Anistia

Gilberto Costa
Repórter da Agência Brasil


Brasília – O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Celso de Mello acaba de votar pela rejeição da ação da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) que contesta a Lei de Anistia. Falta apenas o voto do ministro Cezar Peluso, presidente do STF, para que o julgamento seja encerrado.

A Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 153 questiona a Lei da Anistia que perdoou crimes cometidos durante o regime militar (1964-1985), como sequestro, tortura, estupro e homicídio.

O placar do julgamento é de seis votos contrários e dois votos a favor da ação movida pela OAB. Se não houver reconsideração de votos já proferidos, a ação será considerada improcedente.

Serra dá parabéns a Lula por menção na revista Time

O presidenciável tucano José Serra pendurou no microblog uma trinca de notas sobre a inclusão de Lula na lista de líderes mais influentes do mundo, veiculada pela Time.

Em tom elogiativo, Serra anotou: “Parabéns ao presidente Lula, escolhido líder do ano pela revista americana Time. É bom para o Brasil”.

Depois, alertado por uma internauta acerca da falta de hierarquização da lista da Time, Serra corrigiu-se. Mas manteve o elogio:

“Tem razão [...], não é um ranking. O presidente Lula é um dos 25 líderes da revista Time. Bom do mesmo jeito para o Brasil”.

Numa terceira mensagem, Serra acrescentou: “Vi a notícia no UOL [...]. Há pouco, o próprio UOL corrigiu e deu a informação certa: o presidente Lula é um dos 25”.

Como se vê, Serra é capaz de tudo na sucessão de 2010, menos de confrontar-se com Lula.

no blog do Josias de Souza

Maioria dos ministros do STF rejeita revisão da Lei da Anistia

A maioria dos ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) votou contra a revisão da Lei de Anistia para que fosse possível punir militares que cometeram crimes de tortura durante a ditadura (1964-85).

Leia cobertura ao vivo do julgamento do STF

Já votaram até agora pela manutenção da lei os ministros Eros Grau, Cármen Lúcia, Gilmar Mendes, Ellen Gracie e Marco Aurélio Mello.

Defenderam a revisão da anistia os ministros Ricardo Lewandowski e Carlos Ayres Britto, responsável, até aqui, pelo voto mais contundente, ao classificar os torturadores de "monstros, desnaturados e tarados".

Neste momento, vota o ministro Celso de Mello, mas seu voto não conseguirá reverter o placar, até aqui de 5 a 2 contra a revisão.

Beto Richa na estrada



Na manhã desta quinta-feira, na PR 489, entre Alto Paraíso e Icaraíma, Beto Richa aproveitou o sinal para usar o telefone celular. A ampliação da base de cobertura pelas operadoras de telefonia móvel ainda é um desafio, no Paraná inclusive. Até o ano passado, 1.800 municípios brasileiros ainda não contavam com os serviços de nenhuma operadora de telefonia móvel.

do Blog do Fábio Campana

CRE investigará denúncias de pressões da Abin sobre juiz que atuou no leilão de Belo Monte

A Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) investigará denúncia de pressões de agentes da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) sobre o juiz Antonio Carlos Almeida Campelo, de Altamira (PA), relativas ao leilão para a construção da usina hidrelétrica de Belo Monte, no Pará. Foi aprovado nesta quinta-feira (29) requerimento do senador Heráclito Fortes (DEM-PI) para a realização de audiência pública com esse objetivo.
Serão chamados a comparecer à comissão, segundo o requerimento, o próprio juiz Campelo; o ministro chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, Jorge Armando Félix; e o diretor-geral da Abin, Wilson Roberto Trezza. Segundo notícias veiculadas nos últimos dias e mencionadas por Heráclito, agentes da Abin teriam tentado interferir em decisões de Campelo a respeito do leilão, em uma atitude considerada pelo senador como "inaceitável em um Estado democrático de direito".
Também foi aprovado requerimento dos senadores Eduardo Azeredo (PSDB-MG) e Delcídio Amaral (PT-MS), para a realização de audiência pública a respeito da situação de agricultores brasileiros que estão sofrendo desapropriação de terras no Paraguai.

Aviões

A CRE aprovou parecer favorável ao Projeto de Lei da Câmara 21/10, que autoriza o Poder Executivo a doar três aviões Tucano ao Paraguai. O relator do projeto foi o senador Romeu Tuma (PTB-SP).
Recebeu também parecer favorável o Projeto de Decreto Legislativo 22/10, que aprova o texto do Protocolo Adicional ao Acordo Básico de Cooperação Técnica entre o Brasil e a Itália. A relatora foi a senadora Rosalba Ciarlini (DEM-RN), que ressaltou a possibilidade, com a aprovação do novo protocolo, de tornar a cooperação bilateral "mais ágil e menos burocrática".

Marcos Magalhães / Agência Senado

ROSSONI USA O ORKUT PARA MOBILIZAR OS PARANAENSES

Com milhares de amigos nos seus 20 perfis do Orkut, o deputado Rossoni tem usado a rede para ouvir os cidadãos do Estado. Durante essa semana que passou, chamou os paranaenses para discutirem saúde pública, e proporem medidas para melhorar o atendimento médico. Idéias essas, que vem contribuir para que o plano de governo do PSDB realmente atenda as necessidades de cada região do Paraná.

Essa semana o espaço será dos jovens. Profissionalização, mercado de trabalho, lazer, oportunidades e tudo que interessa para a juventude que conquista o seu lugar, e quer decidir os rumos do Estado.

Curitiba - Seis mil crianças aproveitam novas escolas, creches e quadras esportivas



Um mês depois de inaugurados, dez novos equipamentos da rede municipal de ensino estão mudando a rotina dos moradores e dos bairros onde estão localizados. Duas escolas, uma creche e sete novas quadras poliesportivas cobertas, entregues para a população em março, durante a programação de aniversário dos 317 anos de Curitiba, beneficiam diretamente mais de seis mil estudantes, além de centenas de pessoas das comunidades que também se utilizam dos espaços.

Os novos equipamentos expandiram a oferta de vagas e garantiram mais qualidade ao ensino municipal, ao mesmo tempo em que contribuíram para o desenvolvimento das comunidades locais. "São espaços públicos para formar cidadãos a partir da educação formal, mas também são pontos de encontro de crescimento e aperfeiçoamento das famílias que vivem ao seu redor", diz o prefeito Luciano Ducci.

Duas novas escolas e uma creche foram inauguradas na região sul da cidade, abrindo mais 2.170 vagas nos bairros onde houve maior crescimento populacional, nos últimos anos. Junto com a construção das unidades, os bairros ganharam melhorias nas vias de acesso, presença da guarda municipal e espaços para a convivência social. A Prefeitura prioriza a construção de calçadas e pavimentação de ruas que ficam próximas as escolas.

A Escola Municipal João Amazonas, no loteamento Rio Bonito, no Campo de Santana, é um exemplo de como a construção de uma escola pode transformar para melhor uma região. Com capacidade para 1.220 estudantes do pré-escolar ao 5º ano do ensino fundamental, a nova escola foi entregue para a população já com biblioteca e quadra coberta. Os dois espaços servem aos estudantes, suas famílias e moradores do Rio Bonito.

Nas quartas-feiras, a quadra coberta que não é usada pelas crianças é emprestada a um grupo de terceira idade que participa de atividades físicas e de saúde promovidas pela Unidade de Saúde Rio Bonito. "Aproximar as comunidades e levar as pessoas para a participação nas escolas é uma das ações que a Prefeitura vem difundindo desde 2005", diz a secretaria municipal da Educação, Eleonora Fruet.

Com área de 2.334,64 metros quadrados, a escola João Amazonas conta ainda com 18 salas de aula, duas para a educação infantil e 16 para o ensino fundamental, laboratório de informática, sala de professores, sala de apoio pedagógico e pátio coberto. As ruas da frente e da lateral da escola ganharam pavimentação e meio fio para garantir o conforto e a segurança dos estudantes.

Tranqüila por saber que os filhos de dez e onze anos não precisam mais pegar ônibus para estudar, a diarista Soeli de Castro Silva comemora a construção da Escola João Amazonas, perto de sua casa. "A escola é muito boa, tem tudo o que minhas crianças precisam para ter uma boa educação. As professoras tratam os estudantes como se fossem filhos", diz Soeli.

Para chegar à antiga escola, os filhos de Soeli e outras crianças da região precisavam percorrer cerca de três quilômetros. "Agora perto de casa e com as ruas foram asfaltadas. Não tem mais poeira e lama. As crianças vão caminhando para as aulas", diz Soeli.

Novas mudanças estão previstas na área. A Prefeitura já anunciou a construção de uma creche no terreno ao lado da escola, atrás da Unidade de Saúde Rio Bonito. Os três equipamentos formarão um complexo de atendimento social. "Tantas melhorias na rua fizeram aumentar o movimento do nosso comércio. Estamos estudando ampliar os serviços e abrir para o almoço", diz o comerciante Fernando Wozniak, dono de uma lanchonete na esquina da escola.

Com o mesmo padrão arquitetônico, privilegiando espaços amplos para aprendizagem e áreas disponíveis para a comunidade a Prefeitura inaugurou a Escola Municipal Professora Nathália de Conto Costa, a primeira construída no Umbará. A escola tem capacidade para atender a 800 estudantes em turmas de pré-escolar ao 5º ano do ensino fundamental.

A escola também mudou a rotina do bairro. A pavimentação da rua Eduardo Pinto da Rocha, em frente à escola, já foi anunciada pela Prefeitura. Em maio será aberta a licitação que definirá a empresa que fará a obra. "A escola era um desejo e uma prioridade para nós do Umbará", disse a . autônoma Danusa Pelanda.

Antes de contar com a escola no bairro, Danusa precisava pagar para que a filha de seis anos estudasse em uma escola particular, única opção que havia perto de casa. "Além de economia para minha família, a escola favorece todo o bairro", disse Danusa, que acompanhou a inauguração da escola, no dia 25 de maio.

Educação infantil - No mês de aniversário, a cidade também ganhou mais vagas na educação infantil. O Centro Municipal de Educação Infantil Vitória Régia, no CIC, abriu 150 vagas para crianças de 0 a 5 anos no Cic. A creche foi construída numa área de 600 metros quadrados, distribuídos em seis salas para atendimento das crianças, refeitório, pátio coberto, cozinhas, áreas administrativas e de serviço.

Para facilitar o acesso das famílias, a rua Ludvina Schuster Paes, em frente a creche recebeu nova pavimentação.

As famílias que participaram da festa de inauguração ficaram sabendo que a menos de três quilômetros do Cmei Vitória Régia, a Prefeitura está construindo outras duas creches, o Cmei Moradias Arroio e o Corbélia. Juntas as creches abrirão mais 300 vagas na educação infantil.

Com a construção de quadras cobertas em sete escolas municipais, 3.910 estudantes foram diretamente beneficiados. Outras centenas de pessoas incluindo as famílias dos estudantes e moradores dos bairros próximos as escolas também foram beneficiados. Nos fins de semana as quadras se abrem para o lazer a prática de esportes da comunidade.

Ganharam novas quadras cobertas as escolas municipais Vinhedos, Vila Zanon, Tanira Regina Schmidt, Santa Agueda, Maria Ienkot Zeglin, João Stival, Ayrton Senna da Silva, Pelo menos outras duas centenas de famílias também foram contempladas a partir da inclusão em março, de duas novas unidades no programa Comunidade Escola, que mantém abertas as escolas nos fins de semana com a oferta gratuita de serviços e atividades esportivas, de cidadania, culturais e de lazer. Passaram a integrar o Comunidade Escola as escolas municipais Lauro Esmanhoto, no Boa Vista e São Miguel, no Cic.

Lustro na imagem por Marili Ribeiro


Michael Klein, retocando a imagem

No imbroglio que virou a briga das Casas Bahia versus Pão de Açúcar na fusão que está em suspenso, a imagem dos dois grupos foi afetada. A ala liderada pela família Klein, dona da Bahia, ficou no papel de ingênuos ludibriados pelo mordaz empresário Abílio Diniz. Situação nada confortável no acirrado mundo dos negócios. Já o maior acionista do Pão de Açúcar, Diniz, viu sua fama de implacável aumentada, o que também não condiz com figura do empresário bem sucedido que escreve livros e dá conselhos sobre hábitos saudáveis e boa convivência.

Há duas semanas, incomodados com os rumos as discussões tomaram na mídia, os Klein resolveram contratar o grupo CDN, o maior prestador de serviços de Relações Públicas entre as empresas do ramo no Brasil, para cuidar de sua imagem pública . Após monitoramento do que foi veiculado e discussão com os advogados, a consultoria recomendou que os Klein deixassem ainda mais clara a sua posição sobre o que estava acontecendo. Foi assim que nasceu a reportagem que está hoje na capa da revista de negócios EXAME, na qual se diz que tudo o que os Klein sempre quiseram era o detalhamento dos termos que ficaram em suspenso e não andaram após os anúncio do negócio.

Como tudo tem dois lados, a análise editorial feita pelo lado do concorrente grupo Pão de Açúcar, não tem a mesma interpretação. Por seu lado, eles consideram os Klein quiseram mesmo dar o tom de que fizeram o acordo em situação adversa. Ou seja, foram vítimas e, agora, graças a garra de brigar pelos seus direitos estão obtendo um bom acordo. Ou seja, querem sair da situação na posição de vencedores.

A família Klein detém 49% da nova empresa e o Pão de Açúcar 51%. Michael, o filho primogênito do fundador da rede de lojas varejista, Samuel Klein, foi o principal responsável por negociar a associação com os Diniz. A valorização das ações do Pão de Açúcar na Bolsa de Valores de quase 10%, no dia do anúncio do negócio, deu o alerta: se o mercado viu a iniciativa como excelente para o grupo do Diniz, era sinal que a família Klein não teria se beneficiado. Dado o sinal, começou a discussão que deverá ter mais capítulos e ainda muito lustro nas imagens dos grupos.

do Estadão no Economia e Negocios - blog da Marili Ribeiro

Jaime Lerner é único brasileiro na lista de pensadores da "Times"; veja

da Reportagem Local na Folha Online

O brasileiro Jaime Lerner, ex-prefeito de Curitiba e ex-governador do Paraná, é o único brasileiro na lista dos 25 pensadores mais influentes da prestigiosa revista "Times".

A revista divulgou nesta quinta-feira suas listas das pessoas mais influentes do mundo. Na categoria pensadores, quem lidera é Zaha Hadid, arquiteta iraquiana de 59 anos, primeira mulher a receber o Prêmio Pritzker de Arquitetura, em 2004.

Em 16º lugar, está Lerner, destacado pelo seu legado em sustentabilidade urbana.

"Cidades são como pessoas vivas, aos bilhões. Então eles estão nos problemas ambientais do planeta e exigem soluções ousadas. Ninguém entende isso melhor que Jaime Lerner", diz a revista.

A lista traz ainda nomes como Steve Jobs, cofundador da Apple, em 11º lugar; e Sonia Sotomayor, a juíza americana de origem porto-riquenha que foi escolhida para ocupar um posto na Suprema Corte dos EUA, em 25º.

Veja lista completa

1º Zaha Hadid, 59, arquiteta iraquiana
2º Elizabeth Warren, 60, advogada americana e professora de direito
3º Douglas Schwartzentruber e Larry Kwak, médicos oncologistas
4º Michael Pollan, 55, escritor americano sobre a indústria da comida, ativista e jornalista
5º Atul Gawande, 65, médico e jornalista
6º Jaron Lanier, 49, um músico e cientista da computação
7º Victor Pinchuk, 49, empresário influente ucraniano
8º Lee Kuan Yew, 87, considerado líder da independência de Cingapura
9º Deborah Gist, comissária de educação primária e secundária do Estado de Rhode Island
10º Kathleen Merrigan, especialista em comida orgânica
11º Steve Jobs, 55, cofundador da Apple
12º Tim White, 59, paleontólogo e professor de biologia
13º Lisa Jackson, 48, comissária de ambiente de New Jersey
14º Elon Musk, 38, empreendedor
15º Edna Foa, 72, psicóloga
16º Jaime Lerner, 72, ex-prefeito de Curitiba e ex-governador do Paraná
17º Paul Volcker, 82, ex-presidente do Federal Reserve Board
18º Amy Smith, 47, engenheira e fundadora do Laboratório-D, do MIT (EUA)
19º Matt Berg, 32, diretor de tecnologia da ONG ChildCount+
20º Amartya Sen, 76, escritor e professor de Harvard
21º Michael Sherraden, 61, especialista em microfinanciamento
22º Sanjit "Bunker" Roy, 64, empreendedor e dono da Barefoot College
23º Tim Westergren, 44, fundou o serviço de música on-line Pandora
24º David Boies e Theodore Olson, ambos 69, advogados
25º Sonia Sotomayor, 55, juíza da Suprema Corte dos EUA

Petrobras investirá US$ 111 milhões na Colômbia em 2010

da France Presse, em Bogotá na Folha Online

A Petrobras realizará investimentos de US$ 111 milhões em 2010 na Colômbia, segundo José Alexandre Santa Catharina, gerente de compras da companhia.

Do valor total, US$ 102,4 milhões serão destinados à exploração e à perfuração, e deles US$ 63,8 milhões irão concretamente para a exploração, enquanto que US$ 38,5 milhões irão para desenvolvimento, indicou o jornal especializado "La República de Bogotá".

Outros US$ 6,7 milhões serão destinados ao refinanciamento, ao transporte e à comercialização, enquanto que US$ 2,1 milhões ficarão para a área de investimentos corporativos.

De acordo com o funcionário, os planos da companhia para este ano incluem a perfuração de 14 poços e a abertura de 12 postos de combustíveis.

A Petrobras conta na Colômbia com sete campos de produção, dos quais opera cinco, e 20 blocos de exploração. A produção bruta da companhia está próxima dos 40 mil barris diários.

Além disso, conta com 86 postos de combustíveis e pretende aumentar esse número para 98 em 2011 para chegar a 125 em 2014.

Segundo o presidente da Petrobras na Colômbia, Abílio Paulo Pinheiro, os investimentos da companhia no período 2009-2013 poderão chegar aos US$ 400 milhões.

A guerra que o Brasil deve travar - CLÓVIS ROSSI

Se o Brasil quer de fato tornar-se ator relevante no cenário global, tem a obrigação de envolver-se já na guerra que verdadeiramente moldará o futuro imediato do planeta, que não é a do Irã nem a do Oriente Médio. É a guerra governo x mercados.
O que a tragédia da Grécia põe em dramática evidência é a necessidade de deixar perfeitamente claro quem manda na economia. Se os governos, com a legitimidade que lhes dá a democracia, a melhor forma de organização até agora inventada, ou se os mercados, com a legitimidade que lhes dá o fato de serem a menos imperfeita forma de alocação de recursos, desde que -e a ressalva é absolutamente essencial- regulados pelo poder público.
Deixados soltos, os mercados tornam-se inexoravelmente "corsários fraudulentos", expressão ouvida anteontem no Senado dos EUA durante investigação sobre a Goldman Sachs, e que o leitor da Folha leu antes, incontáveis vezes, neste espaço ou no caderno Mundo.
Para essa guerra, há até um corpo de combate estabelecido, o G20, do qual o Brasil é parte -e parte relevante, ao contrário do que acontece em outros combates, em que implora por uma participação.
No G20, o Brasil, com outros emergentes, conseguiu a perspectiva de aumentar o peso de sua voz e de seus votos no FMI e no Banco Mundial. Mas, agora, o que fazer do FMI e do próprio G20?
Deveriam transformar-se em força de intervenção rápida, no caso grego, por exemplo, assim como o foram quando o setor privado começou a derreter na crise. Puseram uma catarata de dinheiro para amortecer a queda e salvar bancos, entre outras empresas.
Nada contra. Mas não é ainda mais relevante salvar países, quando acossados pelos "corsários fraudulentos", e, tão logo seja possível, subjugar as naus piratas antes que completem o saqueio?

na Folha de São Paulo

Marina Silva pede licenciamento do cargo de senadora

na Folha Online

A pré-candidata à Presidência e senadora Marina Silva (PV) encaminhou hoje (29) à Mesa Diretora do Senado pedido de licenciamento do cargo até 17 de junho "para tratar de interesses particulares". Nesse mês, serão oficializadas as candidaturas ao Planalto.

Em nota, ela afirmou que a "reestruturação programática" de seu partido e a elaboração de seu plano de governo exigirão "determinado grau de dedicação e tempo". Segundo a pré-candidata, essas atividades poderiam prejudicar seu desempenho como senadora.

O período de licenciamento para essa finalidade, de acordo com o regimento do Senado, não pode exceder 120 dias. Ela afirmou, porém, que pode retomar suas atividades antes da data estabelecida "se isso for importante para a defesa dos interesses nacionais".

Beto aceita apoio do PMDB

Da Roseli Abraão no Hora H News

Ao contrário do que alguns políticos possam imaginar, as declarações do ex-governador Roberto Requião à bancada do PMDB, na terça-feira, admitindo uma aliança com o PSDB, agradou aos tucanos. A começar pelo pré-candidato ao governo do Estado, Beto Richa. Em entrevista, por telefone, a este horaH, Richa afirmou que “não recusa apoios”.

Beto Richa faz questão de ressalvar que respeita a candidatura do governador Orlando Pessuti, “uma aspiração legítima”.

– Mas se não for um projeto que se concretize, vamos conversar com o PMDB, afirmou.


Richa disse que não é segredo para ninguém que há tempo vem conversando com setores do PMDB paranaense (no caso, os deputados Alexandre Curi e Luiz Cláudio Romanelli), e caso esta aliança seja viável será perfeitamente justificável.

Porque todos têm a mesma origem, ou seja, o MDB, partido que teve como um dos fundadores seu pai, o ex-governador José Richa.

O presidente do PSDB paranaense, deputado Valdir Rossoni, que acompanha Beto no roteiro que faz no interior do Estado, também confirmou conversas com setores do PMDB.

– E se estamos conversamos é porque admitimos a aliança, disse Rossoni.

Com todo respeito à candidatura de Pessuti, Rossoni diz que Requião é “inteligente” ao admitir uma aliança com o PSDB.

– Nós temos o melhor candidato ao governo, disse, sugerindo que ajuda a própria eleição de Requião ao Senado.

Marina Silva em Curitiba



do Blog do Fabio Campana

A presidenciável do PV, Marina Silva, chegou ontem à noite em Curitiba e foi recepcionada no aeroporto pela deputada Rosane Ferreira, do PV.

Agora pela manhã a pré-candidata a presidência do PV tem reunião na sede do partido com coletiva de imprensa às 10h. Rosane recebeu um abraço caloroso de Marina, que aposta nela para uma cadeira na Câmara Federal.